Edição nº 150 - 11 de Janeiro de 2008

Profissão Contábil: Instrumento de Cidadania

 

 EM TEMPO DE NOVAS IDÉIAS E QUEBRANDO PARADIGMAS, MARIA CONSTANÇA CARNEIRO GALVÃO, É ELEITA A PRIMEIRA MULHER PRESIDENTE  DO  CRCBA. 

 

   

Pela primeira vez em mais de 60 anos da profissão contábil, uma mulher é eleita para dirigir os destinos da profissão contábil da Bahia. A contadora MARIA CONSTANÇA CARNEIRO GALVÃO (foto), é a nova presidente do Conselho Regional de Contabilidade do Estado da Bahia, para o biênio 2008/2009. A eleição deu-se no ultimo dia 02 no plenário do CRCBA e a nova Diretoria, qual as festividades de posse ocorrerá no próximo dia 22 de Fevereiro ficou assim constituída:

 

PRESIDENTE.

Maria Constança Carneiro Galvão.

 

VICE-PRESIDENTE DE ADMINISTRAÇÃO.

Helio Barreto Jorge.

 

VICE-PRESIDENTE DE FISCALIZAÇÃO.

Antonio Carlos Nogueira Cerqueira.

 

VICE-PRESIDENTE DE REGISTRO E CADASTRO.

Erivaldo Pereira Benevides.

 

VICE-PRESIDENTE DE CONTROLE INTERNO.

Edson Piedade Campos.

 

VICE-PRESIDENTE DE DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL.

Edvaldo Paulo de Araújo.

 


 

BAHIA CONTÁBIL NA DIREÇÃO DO CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE.

 

A Bahia Continua com alto prestigio e representatividade no cenário contábil Nacional.  

 

 

Nosso querido e por duas vezes, presidente do CRCBA, Contador Adeildo Osório de Oliveira ( foto ), renovou seu mandato no CFC e  conduzirá como um dos seus vice-presidentes .

 

 

Cumulativamente também exercerá  A vice-Presidência da câmara de Controle Interno do CFC.

A Vice-presidência de Controle Interno, órgão executivo do Conselho Federal de Contabilidade, tem por finalidade auxiliar no planejamento, controle e avaliação da execução orçamentária e financeira do Conselho Federal de Contabilidade.

Compete ao Vice-presidente de Controle Interno superintender a Coordenadoria de Controle Interno e a Auditoria Interna, coordenar os trabalhos da Câmara de Controle Interno, distribuir os processos para relato na Câmara de Controle Interno, denunciar ao Plenário do CFC, a fim de que se deliberem as providências a serem tomadas, relativas aos regionais em atraso quanto à remessa da proposta orçamentária, prestação de contas anual e balancetes mensais ao CFC.

Sucesso Amigo. Você representa os mais autênticos valores do profissional contábil da Bahia e do Brasil.  

 


CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE TEM NOVA DIRETORIA E MARIA CLARA CAVALCANTE BUGARIM É REELEITA PRESIDENTA DO CFC.

Foi realizada na manhã desta sexta-feira (4) a eleição da nova diretoria do Conselho Federal de Contabilidade para o mandato de dois anos. A contadora Maria Clara Cavalcante Bugarim foi reeleita pelo voto dos 27 conselheiros que representam o colegiado do CFC. 

 À frente do CFC desde 2006, Maria Clara vem realizando vários projetos voltados para a classe contábil. Destaque para o lançamento, no segundo semestre de 2007, da nova identidade do profissional contábil, do I Seminário Internacional de Contabilidade Pública e do trabalho realizado pelo grupo de estudo das normas internacionais de contabilidade.

Logo depois de reeleita, a presidente falou da importância do trabalho das mulheres no cenário contábil brasileiro. "Tenho consciência desse desafio e vamos, cada vez mais, administrar o Sistema CFC/CRCs juntos". Maria Clara também lembrou dos profissionais da contabilidade em todo o País. "Vamos honrar o compromisso com os 400 mil profissionais brasileiros". Outro ponto citado pela presidente foi o trabalho a ser realizado no ano de 2008. "Vamos focar nosso trabalho no 18º Congresso Brasileiro de Contabilidade, este, sem dúvida, será o nosso grande desafio".

O mandato da nova diretoria eleita começa no dia 4 de janeiro de 2008 e termina no dia 31 de dezembro de 2009.
 
Veja abaixo a composição da Nova Diretoria para o mandato de dois anos:

Contadora MARIA CLARA CAVALCANTE BUGARIM
Presidente


Contador Enory Luiz Spinelli
Vice-Presidente de Fiscalização, Ética e Disciplina.


Contadora Luci Melita Vaz
Vice-Presidente de Registro


Contador Nelson Mitimasa Jinzenji
Vice-Presidente Técnico


Contador Adeildo Osório de Oliveira ( Bahia )
Vice-Presidente de Controle Interno


Contador José Martonio Alves Coelho
Vice-Presidente de Desenvolvimento Profissional


Contador Juarez Domingues Carneiro
Vice-Presidente de Desenvolvimento Operacional


Contadora Silvia Mara Leite Cavalcante
Vice-Presidente de Administração


Técnico em Contabilidade José Odilon Faustino
Coordenador-Adjunto da Câmara de Fiscalização, Ética e Disciplina.


Contador Sebastião Célio Costa Castro
Coordenador-Adjunto da Câmara de Registro


Técnico em Contabilidade Bernardo Rodrigues de Sousa
Representante dos Técnicos em  Contabilidade no Conselho Diretor

LEGISLAÇÃO DO SIMPLES NACIONAL ( Supersimples )


 

PARA SUA REFLEXÃO

Além de contas, é preciso conhecer política, direito e outros idiomas

Não basta gostar de números para ser contador

Julia Moraes/Folha Imagem
Tamara Testa, que trabalha na área desde o 2º ano da faculdade


INGRID TAVARES
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

Números, balanço, lógica, planilhas, gestão e, principalmente, cálculo, muito cálculo. Não tem escapatória, todos esses pensamentos tomam conta dos vestibulandos quando são pronunciadas apenas duas palavras: ciências contábeis.
O curso, com duração de quatro anos, tem como objetivo formar um profissional capaz de analisar, medir, registrar e controlar as transformações econômicas, patrimoniais e financeiras de diversas instituições, públicas ou privadas.
"Em linhas gerais, o profissional registra o que acontece com o patrimônio de uma empresa ou do governo, com base em padrões nacionais e internacionais, de modo que a sociedade consiga acompanhar a sua evolução", afirma Valmor Slomski, coordenador do curso de ciências contábeis da USP.
O vestibulando também precisa de um raciocínio lógico e uma boa fundamentação em matemática para a profissão, mas o coordenador do curso da PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo), Geraldo Gianini, assegura que não é somente isso.
"Não se pode preparar o aluno apenas para fazer contas. Isso é muito pouco, e o mundo vai além disso." Segundo ele, o contador "contribui também para a sociedade, de forma definitiva, na prestação de contas". Isso porque, segundo Slomski, é importante que as informações contábeis sejam fidedignas à realidade, pois elas serão usadas nas tomadas de decisão, como conceder empréstimos e fechar negócios.
Para isso, o aspirante a contador precisa ter outro idioma, um conhecimento geral bem amplo e, no curso, estudar disciplinas técnicas e gerenciais, como direito, finanças, cálculo.

 

Emprego
O curso de ciências contábeis possui uma das maiores empregabilidades no mercado de trabalho. E a razão disso é bem simples: toda empresa, seja micro ou múlti, é obrigada legalmente a ter um contador no seu quadro de funcionários.
Sem mencionar que a área de atuação não é restrita. Há três grandes eixos -governos, empresas privadas e entidades do terceiro setor-, mas o contador pode trabalhar também com pessoas físicas e nas áreas tributária, gerencial e de custos, além de ser auditor, perito e até mesmo professor.
Atualmente, segundo dados do CFC (Conselho Federal de Contabilidade), há cerca de 900 cursos no país. Antes de 2000, não passavam de cem. Mas o vice-presidente de desenvolvimento profissional do CFC, José Martonio Alves Coelho, faz um alerta. "Apesar do fator positivo, que aumenta a oportunidade de acesso à faculdade, não devemos esquecer da necessidade de uma fiscalização rigorosa nos cursos." Para Coelho, a sociedade ganha "com profissionais éticos e preparados".

 

RAIO-X

900 é o número aproximado de cursos de ciências contábeis no país

100 não chegava a ser o número de cursos registrados no país até 2000

66% dos alunos matriculados em ciências contábeis são mulheres

380 mil é o número de profissionais registrados

38% desses trabalhadores são do sexo feminino

6 milhões é o número aproximado de micro e pequenas empresas no Brasil

 

Mulheres já são maioria nos cursos

COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

Na profissão, há, aproximadamente, 380 mil contadores com registro. Desse universo, apenas 38% são mulheres, segundo dados do CFC (Conselho Federal de Contabilidade).
Mas os números, sempre eles, apontam para uma mudança no mercado. E bem rápida, já que 66% dos alunos matriculados no curso de contábeis são do sexo feminino.
"É uma tendência mesmo, vamos ter mais mulheres do que homens no mercado", afirma com segurança o vice-presidente de desenvolvimento profissional do CFC, José Martonio Alves Coelho.
"O trabalho precisa de atenção e dedicação, características bem marcantes nas mulheres", explica o coordenador da PUC-SP, Geraldo Gianini.
Isso não é novidade para Tamara Testa, 25, consultora há um ano de uma das "top four", como são conhecidas as maiores consultorias do mundo.
Apaixonada por números e formada pela PUC-SP em 2005, Tamara foi contratada já na primeira vez em que procurou o primeiro emprego, no segundo ano da faculdade.
"As empresas acabam te procurando, mesmo sem experiência. É que, no programa de treinamento, você aprende bastante e é bem orientado."
Está certo que ela procurou vaga para ser auditora e recebeu a proposta de aprender o bê-a-bá da consultoria. Tamara não pensou duas vezes e viu a oportunidade de aplicar os conhecimentos da faculdade em uma grande empresa e já sair do curso com experiência.
"Na faculdade, todo mundo diz que o bom é auditoria, por empregar mais. No entanto, percebi, na rotina do trabalho, que não tinha o perfil e resolvi me dedicar à área de pessoa física", conta.
Feliz com a escolha, Tamara se mantém na área de consultoria à pessoa física.
(IT)

Colaborou FERNANDA CALGARO , da Reportagem Local

 

 

MANCHETES

ARTIGOS CONTÁBEIS

 

NOVIDADES NA LEGISLAÇÃO DA PROFISSÃO CONTABIL – CRCBA – ATOS DO CRCBA E CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE

  • Resolução do Conselho Federal de Contabilidade nº 1.088/2007.
    Aprova a NBC T 19.12 -  Eventos subseqüentes à Data das Demonstrações contábeis.

  •  

    VICE-PRESIDÊNCIA DE FISCALIZAÇÃO

    • Contabilidade - Princípios Fundamentais da Contabilidade

    • ALTERAÇÃO NA LEI DAS SOCIEDADES ANÔNIMAS.
      Informamos a edição da Lei Federal nº 11.638 de 28.12.2007 que procede e  implementa alterações  na Lei 6.404 ( lei das Sociedades anonimas), com influencias nas sociedades limitadas, inclusive daquelas que reportam-se a Lei das S.A, como regência supletiva, sugerimos pesquisa e profundo estudo nas alterações implementadas. As principais alterações dizem respeito a demonstrações financeiras.

    VICE PRESIDÊNCIA DE REGISTRO E CADASTRO

    Prezado Contabilista,

    O Conselho Federal de Contabilidade – CFC, visando abrir portas e oferecer facilidades aos profissionais da contabilidade, lança a nova Carteira de Identidade Profissional do Contabilista. Mais moderna e segura, a nova carteira traz benefícios junto a diversos Órgãos e Instituições Bancárias dentre outras vantagens e, ainda, em parceria com a AC Fenacon, dará aos portadores da Nova Carteira, 1 (hum) ano de Certificação Digital gratuita.

    O Conselho Regional de Contabilidade da Bahia, a serviço dos nossos Contabilistas, já disponibiliza o acesso a este Sistema.

    Acesse o site: www.crcba.org.br, ou compareça a nossa Sede ou à Delegacia Regional mais próxima e solicite a sua!

     

     

    Nova Identidade do Profissional da Contabilidade - A Chave do Futuro da Profissão Contábil
    A democratização do uso da certificação digital garantirá a identidade do profissional da contabilidade nas transações eletrônicas

     

    COMENTÁRIOS DA SEMANA

    • O Justo Valor como Novo Critério e a Velha Anedota do Contabilista
      Autor: Fábio Henrique Ferreira de Albuquerque
      Todos certamente conhecem a velha anedota do contabilista que, indagado por um empresário sobre o resultado de uma operação aritmética simples (o valor de dois mais dois) responde sem pestanejar: “quanto quer o senhor que dê?”. E é este, afinal, o selecionado de entre três candidatos a um posto de trabalho

    • O Homem Primitivo e o Pensamento Contábil
      Autor: Fábio Henrique Ferreira de Albuquerque
      Tão largamente têm sido estudadas as  rudimentares formas de registo utilizadas pelo homem, que já se começa a obter algum consenso que o seu nascimento na forma de memória patrimonial terá antecedido mesmo a escrita representativa de quaisquer outros fenômenos ideológicos

     

    LEIS, DECRETOS E MEDIDAS PROVISÓRIA - FEDERAL

    • Decreto nº  6.345 de 07.01.2008.
      Altera o Decreto no 6.306, de 14 de dezembro de 2007, que regulamenta o Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguro, ou relativas a Títulos ou Valores Mobiliários – IOF

    • Decreto nº 6.344 de 07.01.2008.
      Dá nova redação ao § 1o do art. 66 do Decreto no 99.066, 8 de março de 1990, que regulamenta a Lei no 7.678, de 8 de novembro de 1988, que dispõe sobre a produção, circulação e comercialização do vinho e derivados do vinho e da uva.

    • Decreto nº 6.339 de 03.01.2008.
      Altera as alíquotas do Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguro, ou relativas a Títulos ou Valores Mobiliários - IOF.

    • Decreto nº 6.338 de 31.12.2007.
      Fixa o valor absoluto do limite global das deduções do imposto sobre a renda devido, a título de doações e patrocínios, no apoio direto a projetos desportivos e paradesportivos.

    • Decreto nº 6.337 de 31.12.2007.
      Dá nova redação ao art. 1o do Decreto no 5.821, de 29 de junho de 2006, que reduz a zero as alíquotas da Contribuição para o PIS/PASEP e da COFINS, da Contribuição para o PIS/PASEP-Importação e da COFINS-Importação dos produtos que menciona, conforme disposições do § 3o do art. 2o da Lei no 10.637, de 30 de dezembro de 2002, do § 3o do art. 2o da Lei no 10.833, de 29 de dezembro de 2003, e do § 11 do art. 8o da Lei no 10.865, de 30 de abril de 2004

    • Decreto nº 6.287 de 06.12.2007.
      Dispõe sobre a redução a zero das alíquotas da Contribuição para o PIS/PASEP e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social - COFINS, incidentes sobre a receita bruta na venda, no mercado interno, quando adquiridos pelos Estados, Municípios e pelo Distrito Federal de veículos e embarcações destinados ao transporte escolar para a educação básica na zona rural.

    • Decreto nº 6.284 de 06.12.2007.
      Fixa prazo para que as entidades de prática desportiva da modalidade de futebol profissional, que aderiram ao concurso de prognóstico denominado Timemania, satisfaçam as obrigações previstas no § 1o do art. 4o do Decreto no 6.187, de 14 de agosto de 2007, e dá outras providências.

    • Lei Federal nº 11.638 de 12.12.2007.
      Altera e revoga dispositivos da Lei no 6.404, de 15 de dezembro de 1976, e da Lei no 6.385, de 7 de dezembro de 1976, e estende às sociedades de grande porte disposições relativas à elaboração e divulgação de demonstrações financeiras

    • Medida Provisória nº 413 de 03.01.2008.
      Dispõe sobre medidas tributárias destinadas a estimular os investimentos e a modernização do setor de turismo, a reforçar o sistema de proteção tarifária brasileiro, a estabelecer a incidência de forma concentrada da Contribuição para o PIS/PASEP e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social - COFINS na produção e comercialização de álcool, altera o art. 3o da Lei no 7.689, de 15 de dezembro de 1988, e dá outras providências.

    • Medida Provisória nº 410 de 28.12.2007.
      Acrescenta artigo à Lei no 5.889, de 8 de junho de 1973, criando o contrato de trabalhador rural por pequeno prazo, estabelece normas transitórias sobre a aposentadoria do trabalhador rural e prorroga o prazo de contratação de financiamentos rurais de que trata o § 6o do art. 1o da Lei no 11.524, de 24 de setembro de 2007.

    ATOS JURÍDICOS DA ESFERA ESTADUAL – LEGISLAÇÃO DO ICMS, SIMBAHIA E OUTROS TRIBUTOS

    • DOE: 28.12.2007
      Documento: PORTARIA Nº 679/07

      Determina os prazos para pagamento e os valores que servirão de base de cálculo do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores – IPVA para o exercício de 2008 e dá outras providências.

    • DOE: 28.12.2007
      Documento: DECRETO Nº 10.781/07
      Atualiza o valor das taxas pelo exercício do poder de polícia e das taxas pela prestação de serviços na área do Poder Executivo.

    • DOE: 28.12.2007
      Documento: DECRETO Nº 10.767/07

      Dispõe sobre o recolhimento do ICMS devido pelas operações realizadas por contribuintes varejistas no mês de dezembro de 2007.

    • DOE: 22 e 23.12.2007 
      Documento: DECRETO Nº 10.745/07
      Estabelece procedimentos a serem observados pelos contribuintes que realizaram durante o mês de dezembro de 2007 operações com os produtos de ópticas de que trata o item 31 do inciso II do art. 353 do Regulamento do ICMS, aprovado pelo Decreto nº 6.284, de 14 de março de 1997.

    • DOE: 19.12.2007
      Documento: DECRETO Nº 10.711/07
      Procede à Alteração nº 97 ao Regulamento do ICMS.

    • DOE: 19.12.2007
      Documento: DECRETO Nº 10.710/07
      Procede à Alteração nº 98 ao Regulamento do ICMS e dá outras providências.

    • DOE: 13.12.2007
      Documento: DECRETO Nº 10.669/07
      Altera o Regulamento do Fundo de Desenvolvimento Social e Econômico - FUNDESE, aprovado pelo Decreto nº 7.798, de 05 de maio de 2000.

    • DOE: 11.12.2007
      Documento: DECRETO Nº 10.654/07
      Procede à Alteração nº 96 ao Regulamento do ICMS e dá outras providências

     

    ATOS JURÍDICOS DA ESFERA MUNICIPAL – LEGISLAÇÃO DE TRIBUTOS MUNICIPAIS DE SALVADOR

    • Sefaz orienta pequena empresa sobre incentivos para área do Comércio

    LEGISLAÇÃO TRABALHISTA

    • O cigarro no ambiente do trabalho.

    • Conversão de pagamento  de parte de férias em dinheiro é opção do empregado.

    • FISCOSOFT
      Férias Coletivas
      Considerações

    • Férias e 13º salário podem ficar isentos de tributação

    • PORTARIA RESTABELECE ALÍQUOTAS DE CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA

      As alíquotas de contribuição previdenciária dos segurados empregado, empregado doméstico e trabalhador avulso foram restabelecidas. A Portaria MF/MPS nº 501/07, publicada em 31/12/2007 no Diário Oficial, retirou a redução que era concedida em razão da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira).

      De acordo com a norma, as alíquotas restabelecidas somente se aplicam às remunerações pagas já no ano-calendário de 2008. O que determina qual o valor a ser aplicado é o momento do pagamento da remuneração.

      Caso o pagamento da remuneração tenha sido feito até 31 de dezembro de 2007, a contribuição devida deve ser calculada de acordo com as alíquotas ainda reduzidas em razão da CPMF (tabela antiga).

      Se a efetivação for a partir de 1º de janeiro de 2008, a contribuição devida deve ser calculada de acordo com as alíquotas sem a redução decorrente da CPMF (tabela nova, Portaria nº 501 de 2007).

      O anexo único da Portaria 501/07 traz a tabela a ser utilizada no cálculo da contribuição previdenciária devida pelos segurados no caso de o pagamento da remuneração ocorrer a partir de 1º de janeiro de 2008.

      Salário-de-contribuição (R$)

      Alíquota para fins de recolhimento ao INSS (%)

      Até 868,29

      8,00

      De 868,30 Até 1.447,14

      9,00

      De 1.447,15 Até 2.894,28

      11,00

    LEGISLAÇÃO PREVIDENCIARIA

    IMPOSTOS E TRIBUTOS ADMINISTRADOS PELA RECEITA FEDERAL DO BRASIL.

     

    OUTRAS FONTES FUNDAMENTAIS AO SEU DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL

     

    COMITÊ DO BOLETIM ELETRÔNICO DO CRCBA

     

    Como você está recebendo o BOLETIM ELETRÔNICO do CRCBA?

    Suas críticas e sugestões serão bem vindas, participe você também da gestão do CRCBA.

     

    Envie suas sugestões para: 

     

            presidencia@crcba.org.br            |          ouvidoria@crcba.org.br         |     fiscalizacao@crcba.org.br 

     

    eboletim@crcba.org.br               |            registro@crcba.org.br        |     eventos@crcba.org.br

     


    As informações contábeis e tributárias aqui publicadas não representam a totalidade das introduções e novidades da legislação, mas tão somente algumas selecionadas nos meios de comunicação. Continue utilizando as outras fontes de informação de seu habitual acesso. Elas são e continuarão sendo, fontes imprescindíveis para seu aperfeiçoamento profissional.
     

     

    EXPEDIENTE DO BOLETIM ELETRÔNICO DO CRCBA

    Comitê Editorial

    - Antônio Carlos Nogueira Cerqueira
    - Antônio Carlos Ribeiro da Silva
    - Antônio José Salles da Silva
    - Antonio Roberto de Souza
    - Areudo Barbosa Guimarães
    - Carlos Luis Alves Barreto
    - Célia Oliveira de Jesus Sacramento
    - Edmilson Bispo Gonçalves
    - Edson Piedade Campos
    - Edvaldo Paulo de Araújo
    -
    Elionice Ferraz de Souza Cardoso
    - Erivaldo Pereira Benevides
    - Euvaldo Figueredo

    - Geraldo Vianna Machado
    -
    Gilson Antônio Carmo da Silva
    - Graciela Mendes Ribeiro Reis
    - Hélio Barreto Jorge
    - Hildebrando Oliveira de Abreu
    - Iara Luisa de Santana Dórea
    - José Raimundo Alves Reis
    - José Roberto Ferreira da Silva
    - Maria Constança Carneiro Galvão
    -
    Maria do Socorro Galdino Moreira
    - Miguel Angelo Nery Boaventura
    - Olívia Marques Troccoli

    - Raimundo Diorandes de Brito
    - Raimundo Santos Silva
    - Robson da Silva Martins
    - Welington Menezes Ferraz
    - Wilson Oliveira Brito 
    Presidência
    - Maria Constança Carneiro Galvão  

    Coordenação
    - Antônio Nogueira

    Editoração Gráfica
    - Coordenação de Informática - Érick Nilson - informatica@crcba.org.br

    Fale conosco:
    eboletim@crcba.org.br

    Acesse o Boletim no seu navegador:
    Clique aqui!


    As notícias exibidas semanalmente pelo Boletim Eletrônico do CRCBA são extraídas dos principais periódicos do país e, portanto, são de inteira responsabilidade de quem as publicou originalmente, ficando, assim, o CRCBA isento de qualquer opinião, tendência ou veracidade da informação.