Acesse o Boletim Eletrônico - CRCBA no seu navegador: http://www.crcba.org.br/boletim
Conselho Regional de Contabilidade do Estado da Bahia
Edição n.º 54 - 23 de dezembro de 2005

Profissão Contábil: Instrumento de Cidadania

Confira sempre no final desta página em "Sua Biblioteca" e "Seus Links" as legislações e
informações de seu interesse e uso diário. Boa leitura!

 

Mensagem do Comitê Editorial

Prezado(a) Contabilista,

Ao aproximar-se do natal e das festividades de final do ano, nós, que compomos o comitê editorial do BOLETIM ELETRÔNICO, vimos pela presente, inicialmente para pedir-lhes desculpas em não podermos atender toda a demanda de informações que você contabilista certamente teve necessidade no curso desse ano. Mas tenha certeza que fizemos o melhor possível e que redobraremos nossas ações para que no próximo ano nosso BOLETIM ELETRÔNICO continue sendo uma eficaz e moderna ferramenta de uso dos profissionais da contabilidade.

Por fim, queremos desejar a você contabilista e familiares que a luz divina do Natal, ilumine seus corações e lares e que o ano que ora se aproxima seja repleto de conquistas pessoais e profissionais.

Espaço do Contabilista

Publique aqui matérias de interesse da profissão Contábil!


Regulamento:

Enviar para a sede do CRCBA, em protocolo com duas vias de igual teor ou envelope lacrado via sedex, aos cuidados da "Vice-Presidência de Desenvolvimento Profissional", sob o titulo "Opinião do(a) Contabilista" , contendo o artigo impresso e devidamente assinado pelo(s) autores, em formato A4, com fonte 12, acompanhado disquete ou CD (não restituivel) com cópia da carteira profissional de contabilista e clara identificação do autor, inclusive seu CRCBA. Na petição obrigatória em 02 ( duas ) vias o(as) interessado(as) deve declarar: 01 - Que o texto é de sua total e individual/coletiva autoria; 02 - Que se responsabiliza pelo seu conteúdo; 03 - Que isenta o CRCBA de qualquer responsabilidade pela sua divulgação e conteúdo; 04 - Autorização de divulgação e publicação de forma permanentemente e desonerosa para o CRCBA; 05 - Que tem ciência de que o envio do trabalho não representa por parte do CRCBA em obrigação de publicação; e 06 - Autoriza o CRCBA a publicar, a seu único e exclusivo critério, o currículo resumido e e-mail do autor. ATENÇÃO - Tamanho Máximo para publicação: 1 pagina de 80 colunas

Para sua reflexão

  • CAMINHE sempre resolutamente no sentido de seu progresso.
  • Se não quisermos acompanhar a evolução do universo, seremos arrastados a isso por meio da dor, e progrediremos de qualquer forma.
  • Então, siga à frente voluntariamente.
  • E não dê ouvidos ao caluniador.
  • Siga à frente e deixe que os caluniadores fiquem falando sozinhos.
  • Caminhe resolutamente no sentido do seu progresso, e nenhuma voz malévola chegará aos seus ouvidos.

Eventos em Destaque

Solenidade de Habilitação ao Exercício Profissional

A Câmara de Registro e Cadastro do CRCBA realizou, no dia 19 de dezembro de 2005, no Salão Atlântico do Tropical Hotel da Bahia, Campo Grande, mais uma Solenidade para entrega da Carteira de Identidade de Contabilista.

A Turma paraninfada pelo conselheiro EDVALDO PAULO DE ARAÚJO é a 11ª de Salvador a receber a Carteira de Identidade de Contabilista no ano de 2005.

   

O evento foi iniciado com Palestra Motivacional proferida pelo Professor de Marketing, Planejamento Estratégico e Comunicação, Geider Lins Marques, que também nesta solenidade recebeu a sua habilitação ao exercício profissional na categoria de Contador.

Em seguida tiveram a palavra o Presidente do CRCBA, Edmar Sombra Bezerra, e o Paraninfo da Turma, o Vice-Presidente de Registro e Cadastro e Presidente da Comissão da Dívida Ativa do CRCBA, Conselheiro Edvaldo Paulo de Araújo.

Ainda na solenidade, o Vice-Presidente de Desenvolvimento Profissional do CFC, Contador Sudário de Aguiar Cunha, Ex-Presidente do CRCBA e constante colaborador de nossas atividades, recebeu das mãos do Presidente Edmar Sombra Bezerra, placa em homenagem a toda sua trajetória, apoio e colaboração que tem prestado a este órgão, a classe contábil da Bahia e brasileira.

   

Prestigiando o brilhante evento também estiveram presentes o Vice-Presidente Técnico e de Desenvolvimento Profissional, Hildebrando Abreu, a Coordenadora da Comissão Estadual da Mulher Contabilista, Conselheira Maria Constança Carneiro Galvão, o Membro da Câmara de Controle Interno, Conselheiro Erivaldo Pereira Benevides, o Membro da Câmara de Fiscalização do Exercício Profissional, Conselheiro José Roberto Ferreira da Silva, o Membro da Câmara de Registro e Cadastro, Conselheiro Dante Albano Menezes Lopes, o Membro da Comissão de Eventos do CRCBA, Conselheiro Hélio Barreto Jorge, o Conselheiro eleito, Antônio Carlos Nogueira Cerqueira, a Professora e Conselheira eleita, Célia Sacramento, e o Auditor Fiscal do INSS Sinésio Cyrino da Costa Filho, Ex-Vice-Presidente do CRCBA.

 

Eventos
 

Eventos programados:
Clique aqui para ver os eventos programados...

Eventos realizados:
Clique aqui para ver outros...

Manchetes
 

DCI - SP

Mulheres já representam 34% dos contabilistas do País

Tabela do Imposto de Renda virá por medida provisória

Cadastro unificado na Bahia atrasa processo de abertura de empresas
Falhas na implantação do cadastro sincronizado de contribuintes no Estado da Bahia, o primeiro a testar o sistema, podem atrasar ainda mais o início do projeto em São Paulo.


Isto É

Lula poderia ter um Papai Noel mais generoso
Serra ultrapassa, pela primeira vez, o presidente no primeiro turno. Já Alckmin e Garotinho ganham força na briga pela Presidência. Heloísa Helena começa a acelerar no ritmo da embolada.


Receita Federal antecipa prazo de entrega da DIMOB e amplia base de Pessoas Juridicas obrigadas de apresentação
Leia nesta edição na coluna "Tributos Federais" algumas informações a respeito.

Receita Federal libera sistema e normatiza prazos e condições para entrega da DIRF

Leia mais...


Contabilistas fiquem atentos: atividade de cabeleireiro pode sair do regime fiscal do SIMPLES - Aprovada criação de conselho para cabeleireiro e barbeiro

A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público aprovou o Projeto de Lei 4111/04, do deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), que cria o conselho federal e os conselhos regionais de cabeleireiros e barbeiros, para orientar, normatizar e fiscalizar o exercício dessas profissões. Conforme o projeto, os cabeleireiros e barbeiros só poderão trabalhar se estiverem inscritos no conselho. Caso o projeto de lei seja aprovado e promulgado a atividade em epigrafe deixa de poder usufruir do benefício fiscal do SIMPLES, por se tratar de "atividade cujo exercício dependa de profissão legalmente exigida", nos termos do artigo 9º da lei 9.317.


Notícias Gerais - Veja notícias diversas

Conselhos Federal e Regional de Contabilidade
Novidades da Legislação e da Profissão
Matérias Contábeis

Contabilidade - Pagamento/recebimento de duplicata com crédito de ICMS - Conceito e registro
Leia mais...


IRPJ - Provisão para perdas nos estoques - Indedutibilidade
Leia mais...


Contabilidade - Marcas e patentes - Registro
Leia mais...


Contabilidade - Sobras ou sucatas com valor significativo - Avaliação e registro
Leia mais...


CFC

Normas contábeis padronizadas facilitam negociações entre empresas
Leia mais...

Coletânea de Comentários

Principais Formas de Auditoria - Considerações
Publicado: www.fiscosoft.com.br

O Princípio da Insignificância nos Crimes Contra a Ordem Tributária e Apropriação Indébita Previdenciária
Autor: Leonardo Ribeiro Pessoa
Publicado: www.fiscosoft.com.br

Imunidades, Lei Complementar e 3º Setor
Autor: Ives Gandra da Silva Martins
Publicado: www.fiscosoft.com.br

Novidades da Legislação

Atos Jurídicos Federais

Decreto nº 5.622 de 19.12.2005

Regulamenta o art. 80 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional.

Tributos Federais

DOWNLOADS DE PROGRAMAS DIVERSOS DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL
Disponibilizado originalmente pelo site www.fenacon.org.br.


Decreto nº 5.618, de 13.12.2005 - DOU 1 de 14.12.2005

Implementou as seguintes alterações na TIPI, aprovada pelo Decreto nº 4.542/2002, e no Decreto nº 4.955/2004:

a) cria na TIPI os desdobramentos sob a forma de "ex" de diversos produtos como máquinas registradoras, impressoras matriciais, bebidas fermentadas e tratores;
b) acresce a Nota Complementar 85-5 na TIPI, reduzindo a zero a alíquota do IPI do suporte físico gravado com programas para máquinas de processamento de dados classificadas nos códigos que menciona, conforme especificação do usuário final; e
c) acresce diversos itens na lista anexa ao Decreto nº 4.955/2004, que reduz a zero a alíquota do IPI para diversos produtos.


DIMOB 2006 - PRAZO É ANTECIPADO
Receita antecipa prazo de entrega para Fevereiro

O Secretário da Receita Federal assinou a Instrução Normativa nº 576, em 1º.12.2005 (DOU de 6.12.2005), dispondo sobre a Declaração de Informações sobre Atividades Imobiliárias (Dimob) e o programa gerador da Dimob, na versão 1.6, o qual deverá ser utilizado, inclusive, para entrega de declarações em atraso ou retificadoras.

A Dimob é de apresentação obrigatória para as pessoas jurídicas e equiparadas:

a) que comercializarem imóveis que houverem construído, loteado ou incorporado para esse fim;
b) que intermediarem aquisição, alienação ou aluguel de imóveis; ou
c) constituídas para a construção, administração, locação ou alienação do patrimônio de seus condôminos ou sócios.

As pessoas jurídicas e equiparadas de que trata o item "a" acima apresentarão as informações relativas a todos os imóveis comercializados, ainda que tenha havido a intermediação de terceiros.

A Dimob deverá ser apresentada pelo estabelecimento matriz, em relação a todos os estabelecimentos da pessoa jurídica, com as informações sobre:

a) as operações de construção, incorporação, loteamento e intermediação de aquisições/alienações, no ano em que foram contratadas;
b) os pagamentos decorrentes de locação e intermediação de locação ocorridos no ano, independentemente do ano em que essa operação foi contratada.

Prazo de entrega

A Dimob será entregue, até o último dia útil do mês de fevereiro do ano subseqüente ao que se refiram as suas informações, por intermédio do programa Receitanet disponível na Internet, no endereço http://www.receita.fazenda.gov.br. O Recibo de Entrega será gravado no disquete ou no disco rígido, após a transmissão.

Na ocorrência de eventos de extinção, fusão, cisão ou incorporação, serão informadas, no prazo de 30 dias, as operações realizadas até a data do evento.

Multas

A pessoa jurídica que deixar de apresentar a Dimob no prazo estabelecido, ou que apresentá-la com incorreções ou omissões, sujeitar-se-á às seguintes multas:

a) R$ 5.000,00 (cinco mil reais) por mês-calendário, no caso de falta de entrega da Declaração ou de entrega após o prazo;
b) cinco por cento, não inferior a R$ 100,00 (cem reais), do valor das transações comerciais, no caso de informação omitida, inexata ou incompleta.

A omissão de informações ou a prestação de informações falsas na Dimob configura hipótese de crime contra a ordem tributária prevista no art. 2º da Lei nº 8.137, de 27 de dezembro de 1990, sem prejuízo das demais sanções cabíveis.

Casos especiais

 ==> As pessoas jurídicas e equiparadas que não tenham realizado operações imobiliárias no ano-calendário de referência estão desobrigadas da apresentação da Dimob.
==> Eventos ocorridos anteriormente ao ano-calendário de referência que tenham desdobramentos em anos posteriores não deverão ser declarados.
==> Pessoas físicas, ainda que sejam corretoras, que não estiverem equiparadas a pessoas jurídicas por incorporarem e lotearem, não estão obrigadas a entrega.
==> Incorporadoras e construtoras que utilizarem os serviços de corretores autônomos deverão apresentar a Dimob relativa às operações intermediadas por estes.
==> Empresa administradora de imóveis próprios que não atuem como incorporadoras ou construtoras estão desobrigadas da entrega. Se houver contratação de intermediador, este deverá declarar.


IRPJ - Baixa de bem reavaliado - Apuração do Ganho de Capital
Leia mais...


Instrução normativa nº 577/2005
Leia mais...

Cria normas e fixa prazos para apresentação da DIRF exercício 2006 ano calendário 2005.


CONTABILISTAS FIQUEM ATENTOS
ATIVIDADE DE CABELEIREIRO PODE SAIR DO REGIME FISCAL DO SIMPLES

Aprovada criação de conselho para cabeleireiro e barbeiro

A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público aprovou o Projeto de Lei 4111/04, do deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), que cria o conselho federal e os conselhos regionais de cabeleireiros e barbeiros, para orientar, normatizar e fiscalizar o exercício dessas profissões. Conforme o projeto, os cabeleireiros e barbeiros só poderão trabalhar se estiverem inscritos no conselho. Caso o projeto de lei seja aprovado e promulgado a atividade em epigrafe deixa de poder usufrir do benefício fiscal do SIMPLES, por se tratar de "atividade cujo exercício dependa de profissão legalmente exigida", nos termos do artigo 9º da lei 9.317.


DCI - SP

DIMOB - Receita aperta cerco sobre os proprietários de imóveis
Leia mais...

Perguntas e Respostas sobre o Imposto SIMPLES

151. Creche pode optar pelo Simples? O que mudou com a publicação da Lei nº 10.684, de 2003?
A partir de 31/05/2003, com a publicação da Lei nº 10.684, de 2003, passou a ser permitido o ingresso no Simples às pessoas jurídicas que se dediquem exclusivamente às seguintes atividades:

a. Creches e pré-escolas;
b. Estabelecimentos de ensino fundamental;
c. Centro de formação de condutores de veículos automotores de transporte terrestre de passageiros e de carga;
d. Agências lotéricas; e
e. Agências terceirizadas de correios.

O ingresso no Simples já era permitido às creches, pré-escolas e estabelecimentos de ensino fundamental, sendo que a partir da vigência da Lei nº 10.684, de 30/05/2003, os percentuais das creches e pré-escolas passaram a ser os mesmos das outras pessoas jurídicas em geral. Logo, a partir de maio de 2003 as creches e pré-escolas não mais se sujeitam aos percentuais acrescidos de 50%, conforme determinava a Lei nº 10.034, de 2000.

As pessoas jurídicas com atividades de estabelecimentos de ensino fundamental, centro de formação de condutores de veículos automotores de transporte terrestre de passageiros e de carga, e agências lotéricas, bem como as que aufiram receita bruta acumulada decorrente da prestação de serviços em montante igual ou superior a 30% (trinta por cento) da receita bruta total acumulada, muito embora passaram a poder optar pelo Simples, terão os percentuais acrescidos de 50% (cinqüenta por cento), assim como era feito para as creches até o advento da Lei nº 10.684, de 2003.

As franqueadas dos correios também passaram a poder optar pelo Simples com a publicação da Lei nº 10.684, de 2003. Essa lei determinava que essas empresas estariam sujeitas aos percentuais majorados em 50%. Com o advento da Lei nº 10.833, de 2003, entretanto, as franqueadas dos correios deixaram de estar sujeitas aos percentuais majorados em 50%.

Com relação às pessoas jurídicas que aufiram receita bruta decorrente da prestação de serviços em montante igual ou superior a 30% (trinta por cento) da receita bruta total, inscritas no Simples, os percentuais acrescidos em 50% somente aplicar-se-ão a partir de 1º/01/ 2004 (ver pergunta 133).


152. Quais os percentuais a serem utilizados pelas creches durante o ano de 2003?
Até o mês de abril de 2003, em função do disposto na Lei nº 10.034, de 2000, as pessoas jurídicas que exerciam as atividades de creches, de pré-escolas e de estabelecimentos de ensino fundamental estavam autorizadas a ingressar no Simples.

Para estas atividades eram aplicados os percentuais resultantes do acréscimo de 50% (cinqüenta por cento) sobre aqueles percentuais previstos para as demais ME e EPP.

Tabela 1: Percentuais aplicáveis às creches e pré-escolas até o mês de abril de 2003, inclusive:

Veja tabela na integra no site www.receita.fazenda.gov.br.

Atos Jurídicos Estadual e Legislação do ICMS e outros Tributos - Bahia

DECRETO Nº 9.731/05

Altera o Decreto nº 9.250, de 26 de novembro de 2004, que dispõe sobre o recolhimento do ICMS por empresas que desenvolvam as atividades que especifica, e dá outras providências.


LEI Nº 9.837/05

Altera as Leis nos 3.956, de 11 de dezembro de 1981; 6.348, de 17 de dezembro de 1991; 7.014, de 04 de dezembro de 1996; e 7.357, de 04 de novembro de 1998, e dá outras providências.

Atos Jurídicos Municipais e Legislação de ISS e Outros Tributos Municipais

Tire aqui suas dúvidas tributárias com a SEFAZ de Salvador

- Perguntas mais freqüentes
- Converse com o auditor
- Consultas por e-mail


Programa de Fiscalização da Prefeitura de Salvador - Bahia

Contabilista veja se seu cliente está na programação de Fiscalização. Clique aqui.


Refis ainda oferece bons descontos
Leia mais...


Novo Código Tributário não aumenta IPTU
Leia mais...

Legislação Trabalhista

- SAIBA TUDO SOBRE O SEGURO DESEMPREGO
- VEJA AQUI LEGISLAÇÃO SOBRE O EMPREGO DE DOMESTICO
- VEJA AQUI AS PRINCIPAIS REGRAS QUE NORTEIAM AS RELAÇÕES DE EMPREGO
- VEJA AQUI A LEGISLAÇÃO SOBRE O PAT - PROGRAMA DE ALIMENTAÇÃO AO TRABALHADOR
-
VEJA AQUI TUDO SOBRE A LEGISLAÇÃO DO FGTS


Portaria MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO nº 496 de 13.12.2005

Altera a Portaria nº 540, de 15 de outubro de 2004, que dispõe sobre o Cadastro de Empregadores que tenham mantido trabalhadores em condições análogas à de escravo.

Legislação Previdenciária

Canal Executivo

Dicas sobre tributação dos planos de previdência
Leia mais...


Previdência Social - Débitos previdenciários dos Municípios - Parcelamento - Disposições - Republicação
Leia mais...

Foram estabelecidos os procedimentos a serem observados e aplicados para a formalização do parcelamento instituído pelos arts. 96 a 104 da Lei n° 11.196 de 2005, e regulamentados pelo Decreto n° 5.612 de 2005. A Instrução Normativa nº 10 abordou os seguintes aspectos: a) objeto do parcelamento, permissibilidade e restrições; b) formulação do pedido, instrução do processo e concessão; c) indeferimento do pedido de parcelamento; d) consolidação do parcelamento e cálculo do número e valor das parcelas; e) vencimento e forma de pagamento; f) rescisão do parcelamento; g) apropriação dos valores pagos; h) disposições gerais. A Instrução Normativa nº 10 foi republicada no DOU de 16/12/2005.

Publicado por www.fiscosoft.com.br


Instrução Normativa SECRETÁRIO DA RECEITA PREVIDENCIÁRIA - SRP nº 10 de 13.12.2005

Dispõe sobre o parcelamento dos Municípios nos termos da Lei 11.196, de 21 de novembro de 2005, que institui o REPES, o RECAP e o Programa de Inclusão Digital; dispõe sobre incentivos fiscais para a inovação tecnológica; altera as normas que especifica e dá outras providências.


Notícias gentilmente cedidas pelos parceiros do CRCBA:
FVCCONSULT   Câmara de Dirigentes de Empresas de Contabilidade do Estado da Bahia   IOB THOMSON   Fiscosoft

As informações contábeis e tributárias aqui publicadas não representam a totalidade das introduções e novidades da legislação, mas tão somente algumas selecionadas pelos nossos parceiros editores. Continue utilizando as outras fontes de informação de seu habitual acesso. Elas são e continuarão sendo, fontes imprescindíveis para seu aperfeiçoamento profissional. 

Informações de Entidades Vinculadas à Classe Contábil

Entidade

Espaço destinado aos sindicatos, associações, diretórios acadêmicos de faculdades de Ciências Contábeis e demais entidades da classe contábil.

Publicação de Livros, Artigos Técnicos e Científicos

Trabalhos do 17º Congresso Brasileiro de Contabilidade
Acesse o conteúdo dos 94 trabalhos selecionados para apresentação durante o evento e os cinco melhores artigos premiados em Santos/SP. Os arquivos estão disponibilizados por temas. Leia também o conteúdo das principais palestras proferidas no evento. Clique aqui e boa leitura!

Livros On-line

  1. Luca Pacioli - Um mestre do Renascimento
  2. Manual de Procedimentos Contábeis para Fundações e Entidades de Interesse Social - 2ª Edição
  3. Abordagens Éticas para o Profissional Contábil
  4. Contrato de Prestação de Serviços de Contabilidade
  5. Manual de Procedimentos Processuais - Sistema CFC/CRCs
  6. Fundo de Integração e Desenvolvimento da Profissão Contábil - FIDES
  7. Manual da Estrutura Contábil e Orçamentária do Sistema CFC/CRCs
  8. Manual de Procedimentos Contábeis para Fundações e Entidades de Interesse Social
  9. Agenda Legislativa – Sistema Contábil Brasileiro, edição 2003 - Parte 01
  10. Agenda Legislativa – Sistema Contábil Brasileiro, edição 2003 - Parte 02
  11. Normas sobre Eleições Sistema CFC/CRCs
  12. Mensagem a um Futuro Contabilista
  13. LRF Fácil - Guia Contábil da Lei de Responsabilidade Fiscal - Volume IV - Agenda das Principais Obrigações Municipais
  14. LRF Fácil - Guia Contábil da Lei de Responsabilidade Fiscal - Volume III - Demonstrações e Relatórios
  15. LRF Fácil - Guia Contábil da Lei de Responsabilidade Fiscal - Volume II - Instrumentos de Planejamento
  16. LRF Fácil - Guia Contábil da Lei de Responsabilidade Fiscal - Volume I - Aspectos Gerais
  17. Princípios Fundamentais e Normas Brasileiras de Contabilidade de Auditoria e Perícia
  18. Principios Fundamentais e Normas Brasileiras de Contabilidade
  19. O Combate à Corrupção - Nas Prefeituras do Brasil
  20. Exame de Suficiência 2003 - Sistema CFC/CRC´s
  21. Seleção de Pareceres da Câmara Técnica de 1994 a 2002 - Parte 01 do arquivo PDF
  22. Seleção de Pareceres da Câmara Técnica de 1994 a 2002 - Parte 02 do arquivo PDF
  23. Reforma Tributária
  24. Legislação da Profissão Contábil
  25. Manual de Procedimentos Contábeis para Micro e Pequenas Empresas

Outros trabalhos

Autor(es) Título
Adeildo Osório de Oliveira O Mundo Corporativo Influenciado pelo Movimento Contábil
Arthur Magalhães Andrade Um Mercado cada vez mais Competitivo 
Edvar Ximenes O Suplício dos Contabilistas no Atendimento pelos Órgãos Públicos 
Jocacio Ferreira Cerqueira e Wilson Pereira Oliveira Socialização da Informação Contábil para os Micro Empresários
José Carlos Travessa de Souza Auditoria em Shopping Center: Uso de Métodos quantitativos na avaliação da Omissão de Aluguéis
Luiz Fernando Coelho da Rocha Elementos sobre a Doutrina Científica do Neopatrimonialismo Contábil
Marcos Cintra Discriminação contra os prestadores de serviços
Marcos Cintra Ética tributária
Maurício Fernando Cunha Smijtink O caso das fraudes em empresas: de vilã, a Contabilidade tem tudo para se tornar heroína
Natólio de Souza Custo do Capital
Nivaldo Cleto Serviços disponibilizados pela Receita Federal na Internet, uma luz no final do tunel
Nourival Resende A lição dos inconfidentes
Odoni Pedro Floriani Auditoria: Do Gênesis aos dias de hoje
Pedro Coelho Neto MP 135: Disfarce para arrecadar mais
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Análise de Balanços e Modelos Científicos em Contabilidade
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá As Matemáticas, o Social e a Classificação Científica da Contabilidade
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Código de Ética e Mercado
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Conceito Contábil de Lucro
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Comparação de Valores em Contabilidade
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Correlações entre Componentes do Custo
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Novas Visões na Profissão Contábil
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Célula Social e Contabilidade
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Fundamentos do Neopatrimonialismo
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Prosperidade e o Esforço Científico do Neopatrimonialismo Contábil para Uma Nova Sociedade
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Teoria Contábil da Socialidade e Contabilidade Social
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Variações do Capital Próprio e a Prosperidade das Empresas
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá A Ética da Resposta
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Sigilo Profissional em Contabilidade 
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Tendências e Futuro da Contabilidade
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Colóquio Necessário a Continuidade das Empresas
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Sinceridade nas Contas
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Doações, Política e Problemas Contábeis
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Um Paradoxo na Amortização do Aviamento
Prof. Wilson Alberto Zappa Hoog Sociedade Limitada e a Responsabilidade, em Harmonia com Novo Código Civil
Prof. Wilson Zappa A Recuperação da Atividade Empresarial
Prof.Carlos Alberto Serra Negra Stewart está equivocado. A Contabilidade funciona

 

Envie seus artigos para análise e publicação!

Confira abaixo as legislações e informações de seu interesse e uso diário.
Acesse clicando nos links respectivos e bom uso!

Sua Biblioteca

Códigos:
[Tributário Nacional]
[Tributário Estadual]
[Tributário Municipal-SSA]
[Ética do Contabilista]
[Civil Brasileiro]
[Penal Brasileiro]
Regulamentos:
[Imposto de Renda]
[ITR]
[SIMPLES]
[PIS/COFINS]
[IPI]
[Aduaneiro]
[Previdência Social]
[ICMS-Bahia]
[DMS-Salvador]
[Perguntas e Respostas - SIMPLES]
Receita Federal:
[Agenda Tributária]
[Tabela de IR Retido na Fonte]
[Tabela IPI]
[Novidades da Receita]
[Taxa de Juros-SELIC]
[Notícias da Receita]
[Certidão PF]
[Certidão PJ]
[Comércio Exterior]
[CSLL]
[DACON]
Outros:
[Constituição Brasileira]
[Constituição Baiana]
[Lei de Resp. Fiscal]
[Lei n.º 4320/64]
[Lei das SA (Atualizada)]
[CLT]
[Publicações On-line-CFC]
[NBCTs
[Resoluções CFC]
[Resoluções CRCBA]
[Notícias SEFAZ SSA]
[Certidão PGFN]

Seus Links

Entidades de Classe:
[CFC - Conselho Federal de Contabilidade]
[AIC]
[AUDIBRA]
[CVM]
[IASB]
[IBRACON]
[FENACON]
[SESCAP]
[SINDCEB]
Outros:
[Receita Federal]
[Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional - PGFN]
[Fazenda Estadual]
[Fazenda Municipal-SSA]
[Junta Comercial-Bahia]
[Presidência da República]
[IOB]
[Fiscosoft]
[FVCConsult]
[Conheça a Bahia (Bahia.com.br)]

Boletim Eletrônico do CRCBA
 

Comitê Editorial
- Edmar Sombra Bezerra
- Edson Piedade Campos
- Edvaldo Paulo de Araújo
- José Carlos Travessa
- Miguel Angelo Nery Boaventura
- Antonio Nogueira
- Bartolomeu Jorge Santos de Araújo
- Erivaldo Pereira Benevides
- Geraldo Vianna Machado
- Hélio Barreto Jorge
- Hildebrando Oliveira de Abreu
- José de Andrade Silva Filho
- José Roberto Ferreira da Silva
- Olegário Santos Souza
- Vera Lúcia Santos Barbosa Gomes
- Wellington do Carmo Cruz

Coordenação
- Antonio Nogueira

Editoração
- Roberto Vivas da Silva

Fale conosco:
eboletim@crcba.org.br

Acesse o Boletim no seu navegador:
Clique aqui!

 
As notícias exibidas semanalmente pelo Boletim Eletrônico co CRCBA são extraídas dos principais períódicos do país e, portanto, são de inteira responsabilidade de quem as publicou originalmente, ficando, assim, o CRCBA isento de qualquer opinião, tendência ou veracidade da informação.