Acesse o Boletim Eletrônico - CRCBA no seu navegador: http://www.crcba.org.br/boletim
Conselho Regional de Contabilidade do Estado da Bahia
Edição n.º 41 - 05 de outubro de 2005

Profissão Contábil: Instrumento de Cidadania

Confira abaixo as legislações e informações de seu interesse e uso diário.
Acesse clicando nos links respectivos e bom uso!

Sua Biblioteca

Códigos:
[Tributário Nacional]
[Tributário Estadual]
[Tributário Municipal-SSA]
[Ética do Contabilista]
[Civil Brasileiro]
[Penal Brasileiro]
Regulamentos:
[Imposto de Renda]
[ITR]
[SIMPLES]
[PIS/COFINS]
[IPI]
[Aduaneiro]
[Previdência Social]
[ICMS-Bahia]
[DMS-Salvador]
[Perguntas e Respostas - SIMPLES]
Receita Federal:
[Agenda Tributária]
[Tabela de IR Retido na Fonte]
[Tabela IPI]
[Novidades da Receita]
[Taxa de Juros-SELIC]
[Notícias da Receita]
[Certidão PF]
[Certidão PJ]
[Comércio Exterior]
[CSLL]
[DACON]
Outros:
[Constituição Brasileira]
[Constituição Baiana]
[Lei de Resp. Fiscal]
[Lei n.º 4320/64]
[Lei das SA (Atualizada)]
[CLT]
[Publicações On-line-CFC]
[NBCTs
[Resoluções CFC]
[Resoluções CRCBA]
[Notícias SEFAZ SSA]
[Certidão PGFN]

Seus Links

Entidades de Classe:
[CFC - Conselho Federal de Contabilidade]
[AIC]
[AUDIBRA]
[CVM]
[IASB]
[IBRACON]
[FENACON]
[SESCAP]
[SINDCEB]
Outros:
[Receita Federal]
[Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional - PGFN]
[Fazenda Estadual]
[Fazenda Municipal-SSA]
[Junta Comercial-Bahia]
[Presidência da República]
[IOB]
[Fiscosoft]
[FVCConsult]
[Conheça a Bahia (Bahia.com.br)]

Programa de Fiscalização da Prefeitura de Salvador - Bahia

Contabilista veja se seu cliente está na programação de Fiscalização. Clique aqui.

Eventos
 

Eventos programados:
Clique aqui para ver os eventos programados...

Eventos realizados:
Clique aqui para ver outros...

Para sua reflexão

  • Alguns são mais lentos, outros mais rápidos na caminhada.
  • Não queira exigir dos outros aquilo que nem sempre você mesmo consegue fazer.
  • Tenha compreensão pelos erros do próximo, e guarde que possam escalar aos poucos a montanha íngreme da virtude.
  • Ninguém pode tornar-se santo da noite para o dia.
  • Tenha paciência com os companheiros da sua jornada na terra.

Eventos em Destaque

11ª CONESCAP

Foi realizada nos dias 21, 22 e 23 de setembro de 2005 a 11ª CONESCAP - Convenção Nacional das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisa.

O evento, que acontece a cada dois anos, foi realizado no Pirâmide Palace Hotel, na cidade de Natal, Rio Grande do Sul.

"Empresas de Serviços: Desafios e Perspectivas", este foi o tema discutido na 11ª Conescap, o qual contou com uma rica programação e a participação de renomados profissionais.

   

   

Estiveram presentes no evento o Presidente do CRCBA, Edmar Sombra Bezerra, e os Conselheiros Maria Constança Carneiro Galvão, Iara Luisa de Santana Dórea, Hélio Barreto Jorge e Miguel Ângelo Nery Boaventura.


Solenidade de entrega das honrarias da classe contábil da Bahia

Por ocasião da comemoração do Dia do Contador, 22 de Setembro, o Conselho Regional de Contabilidade do Estado da Bahia prestigiou a classe contábil em jantar por adesão realizado no Hotel Blue Tree Tower, Rio Vermelho, nesta capital em 29 de Setembro.

Na oportunidade foi realizada a Formatura da primeira turma do Programa Contabilizando o Sucesso, onde o Presidente do CRCBA, Edmar Sombra Bezerra, o Vice-Presidente Técnico e de Desenvolvimento Profissional, Hildebrando Abreu, e o Professor Sudário de Aguiar Cunha, realizaram a entrega dos certificados aos formandos Analice Barbosa Almeida, Carlos Jorge Santos, Cássia Cristina Brasileiro, Cilene Araújo Miranda, Francisco Ferreira, Jesiel Borges, Manoel Pardo e Noel Carlos.

Como destaque e em noite de gala foram realizadas homenagens a profissionais da área contábil com a concessão da Distinção de Contabilista Benemérito à Contadora DILZA RAMOS RODRIGUES, concessão da Medalha Mérito Contábil Militino Rodrigues Martinez ao Contador SUDÁRIO DE AGUIAR CUNHA, além da concessão da Distinção Contador Honorário ao Senhor STENOR PINTO SANTOS.

   

   

Estiveram presentes no brilhante evento os Conselheiros Hildebrando Abreu, Maria Constança Carneiro Galvão, Wellington do Carmo Cruz, Iara Luisa de Santana Dórea, Vera Lúcia Santos B. Gomes, Edson Piedade Campos, Hélio Barreto Jorge, José Roberto Ferreira da Silva, o Ex-Conselheiro, Antônio Nogueira Cerqueira, o Ex-Presidente José Antônio Moreira de Icó da Silva e o Professor Wilson Thomé Sardinha Martins.

Manchetes
 

Instituído o horário de verão


DCI

Tributos - Estados modificam imposto para as pequenas empresas.


O Globo

Carga Tributária - O apetite que não cessa.


Estado da Bahia e Receita Federal em cadastro único sincronizado.


Contabilistas em Expressivos Cargos

Em breve estaremos divulgando nomes de profissionais contábeis exercendo funções não contábeis, tais como dirigentes de grandes corporações privadas, públicas, civis e de relevância nacional. Aguardem...

Indique aqui o nome, número do CRC, o cargo e a entidade.

26ª Conferência Interamericana de Contabilidade - Salvador/BA26ª Conferência Interamericana de Contabilidade - Salvador/BA

Entre os dias 23 a 26 de outubro, nossa capital (Salvador) irá sediar a 26ª Conferência Interamericana de Contabilidade, um dos mais importantes eventos voltados para a classe contábil no mundo.
Clique aqui ou acesse o endereço www.26cic.com.br e veja tudo sobre a 26ª CIC. Inscrições abertas!


Contabilidade mostra que versão de Valério e Delúbio sobre empréstimos é falsa.


Eventos voltados para a Educação Continuada

Consulte nosso serviço de eventos e veja a grade programada para a Capital. São eventos de suma importância para o desenvolvimento profissional e intelectual dos contabilistas e espero que todos possam usufrir desses benefícios oferecidos pelo nosso CRCBA.

Em breve estaremos divulgando um intenso programa de educação continuada para o Interior do Estado e estamos convictos que atenderemos os anseios dos nossos colegas. Aguardem...

Conselhos Federal e Regional de Contabilidade
Novidades da Legislação e da Profissão
Matérias Contábeis

Resolução nº 1.034, de 26.08.2005, do Conselho Federal de Contabilidade - DOU 1 de 22.09.2005 - Aprovou a NBC P 1.2 - Independência.


Resolução nº 1.035, de 26.08.2005, do Conselho Federal de Contabilidade - DOU 1 de 22.09.2005 - Aprovou a NBC T 11.4 - Planejamento da Auditoria.


Resolução nº 1.036, de 26.08.2005, do Conselho Federal de Contabilidade - DOU 1 de 22.09.2005 - Aprovou a NBC T 11.8 - Supervisão e Controle de Qualidade.


Resolução nº 1.037, de 26.08.2005, do Conselho Federal de Contabilidade - DOU 1 de 22.09.2005 - Aprovou a NBC T 11.10 - Continuidade Normal das Atividades da Entidade.


Resolução nº 1.038, de 26.08.2005, do Conselho Federal de Contabilidade - DOU 1 de 22.09.2005 - Aprovou a NBC T 11.13 - Estimativas Contábeis.


Resolução nº 1.040, de 26.08.2005, do Conselho Federal de Contabilidade - DOU 1 de 22.09.2005 - Aprovou a NBC T 11.16 - Transações e Eventos Subseqüentes.


Resolução nº 1.041, de 26.08.2005, do Conselho Federal de Contabilidade - DOU 1 de 22.09.2005 - Aprovou a NBC T 13.6 - Laudo Pericial Contábil.


Resolução nº 1.042, de 26.08.2005, do Conselho Federal de Contabilidade - DOU 1 de 22.09.2005 - Alterou o art. 2º da Resolução CFC nº 1.023/2005, que aprova a NBC P 1.8 - Utilização de Trabalhos de Especialistas.


Resolução nº 1.045, de 16.09.2005, do Conselho Federal de Contabilidade - DOU 1 de 21.09.2005, retificado no de 23.09.2005 - Alterou o Regulamento Geral dos Conselhos de Contabilidade, destacando-se que:

a) as contas do CFC, organizadas e apresentadas por seu Presidente, com parecer da Câmara competente, serão submetidas, até 31.05 e não mais até 31.03;
b) o CFC composto de até quinze membros e seus respectivos suplentes, passa a ser constituído por (um) membro efetivo de cada Conselho Regional de Contabilidade e seu respectivo suplente;
c) nos casos de falta ou impedimento temporário ou definitivo, o conselheiro era substituído por suplente da mesma categoria profissional e do mesmo terço, com a nova Resolução será substituído por suplente convocado pelo presidente;
d) o CFC passa a ter competência para disciplinar o registro no Cadastro Nacional de Auditores Independentes;
e) a suspensão do exercício profissional ou do registro cadastral por falta de pagamento de anuidade ou multa cessará, automaticamente, com a satisfação da dívida, não se observando mais a decorrente da prestação de contas a terceiros que vigoraria enquanto a obrigação não fosse cumprida; e
f) foi revogada a vedação a contratação pelo Sistema CFC/CRCs, para prestar serviços remunerados, a Conselho de Contabilidade, de cônjuge ou companheiro, e parentes até o terceiro grau, consangüíneo ou afim, de conselheiro ou ex-conselheiro efetivo ou suplente. Essa vedação atingia também os cônjuges, companheiros e parentes de titulares de órgãos de descentralização administrativa de Conselho de Contabilidade e de empregado ou contratado de Conselho de Contabilidade.


Resolução nº 1.046, de 16.09.2005, do Conselho Federal de Contabilidade - DOU 1 de 21.09.2005 - Passa a ser permitida a emissão da DHP-Eletrônica por intermédio de serviço informatizado disponibilizado pelos Conselhos Regionais de Contabilidade (CRC) e aprovado pelo CFC. A emissão deverá conter mecanismo de segurança por meio de autenticação automática e código de segurança. Observe-se que o número de DHP, fornecido passa a ser limitado em trinta (anteriormente cinqüenta) por requerimento. Entretanto, quanto ao fornecimento da DHP-Eletrônica, não há limite para emissão. O CRC que emitir a DHP-Eletrônica não poderá desconsiderar a possibilidade da emissão da DHP convencional.


Resolução nº 1.047, de 16.09.2005, do Conselho Federal de Contabilidade - DOU 1 de 21.09.2005 - Passa a ser permitida a emissão de Decore-Eletrônica, por intermédio de serviço informatizado disponibilizado pelo CRC, autorizado pelo CFC, que poderá ser emitido via Internet no site do CRC de cada Estado, com a possibilidade de uso da certificação digital. A emissão deverá conter mecanismo de segurança por meio de autenticação automática e código de segurança. Vale lembrar que o CRC que emitir a Decore-Eletrônica não poderá desconsiderar a possibilidade da emissão da Decore convencional.

Observe-se que a primeira via da Decore-Eletrônica será autenticada mediante Declaração de Habilitação Profissional - DHP Eletrônica e a 2º via da Decore, que conterá o número da DHP utilizado na primeira via, deverá ser arquivada pelo contabilista pelo período de cinco anos, acompanhada de cópia da base legal, memória de cálculo, quando o rendimento for decorrente de mais de uma fonte pagadora. Foi excluído da lista de exemplos de documentos que podem fundamentar a emissão da Decore, o livro caixa, quando o rendimento for proveniente de retirada de pró-labore.


EDITORIAL IOB

Contabilidade - Provisão para o Imposto de Renda - Classificação contábil.

Contabilidade - Assinatura de periódicos, jornais e revistas - Contabilização.

IRPJ e CSL - Atividade rural - Depreciação acelerada incentivada.

Contabilidade - Troca de mercadorias em garantia - Tratamento.

Contabilidade - Brindes - Aquisição e distribuição - Tratamento.


Decisão judicial garante prerrogativas profissionais de contabilidade.

Em decisão unânime, a 4ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, assegurou que não basta que o responsável técnico pelos serviços contábeis seja regularmente registrado, sendo essencial que todas as pessoas que efetivamente desempenhem atividades contábeis sejam registradas nos respectivos Conselhos Regionais de Contabilidade. Conforme o entendimento do relator, Desembargador Amaury Chaves de Athayde, são considerados serviços contábeis as atividades previstas no art. 25 do Decreto-Lei nº 9.295-46 (criou o Conselho Federal de Contabilidade e definiu as atribuições dos profissionais da contabilidade) e, assim sendo, qualquer pessoa que exerça algum serviço contábil e estando a seu cargo seção de contabilidade, todos os encarregados da parte técnica devem ser exclusivamente profissionais habilitados e registrados no Conselho Regional de Contabilidade respectivo. Não é a assunção de responsabilidade por determinadas peças contábeis que determinam a obrigatoriedade de devida habilitação e registro perante o CRC dos funcionários de um setor contábil de uma empresa, mas, sim, a própria realização da atividade contábil, assim caracterizada nos termos do art. 25 do Decreto-Lei nº 9.295-46, mesmo que posteriormente à realização dessas atividades tais funcionários tenham de relatá-la a um superior.

Na sustentação do voto, o relator também refere: Conforme bem referiu a sentença ora recorrida, baseada nos depoimentos colhidos nos autos, os autores examinavam documentos contábeis e faziam análise econômico-financeira, verificando a correção de dados e contas. Tais atividades, não há dúvidas, enquadram-se entre as previstas no art. 25 do Decreto-Lei 9.295-46, como trabalhos técnicos de contabilidade. Dessa forma, mesmo que os autores autuados não assumam a responsabilidade por nenhuma peça contábil, o que fica a cargo do superior que as assina, é certo que realizam atividade contábil, motivo por que devem ter a devida habilitação e registro perante o CRC.

Coletânea de Comentários

NOVAS INVESTIDAS CONTRA O RACIONAL
Antônio Lopes de Sá
 

Grandes dificuldades existentes na atualidade para que as empresas possam ter maior produtividade, aproveitamento e rentabilidade, assim como até para desempenhar o papel social que lhes cabe, estão na imensa burocracia imposta aos serviços contábeis.

Estima-se que o aumento da carga tributária, em apenas uma década ultrapassou a 60%, mas, não se pode omitir que piorou sensivelmente o encargo para informar e cumprir formalidades.

Os contadores hoje estão hoje tão ocupados em fazer serviços que caberiam ao Estado executar que muito lhes é tolhido do tempo que deveria estar dedicado a orientar o empresário.

O fornecimento de modelos de conduta aos empreendedores, como sugestões para decisões que levam a prosperidade é em realidade a tarefa de maior importância que um Contador pode oferecer.

Essa, todavia, tem sido perturbada pelo excesso de exigências burocráticas do Estado.

Como se não bastasse, uma outra ameaça vem de pesar sobre os destinos desta nação, infelicitada por alguns políticos de má conduta moral e ausência de responsabilidade para com os destinos desta pátria.

Enquanto se programa o cadastro único para facilitar a abertura e fechamento de empresas, a Câmara dos Deputados aprova um projeto de lei que aumenta a burocracia e engessa o ritmo do desenvolvimento econômico.

O PL número 1.427/2003, do deputado Antonio Lobbe Neto (PSDB-SP), condiciona a inscrição, cancelamento, baixa ou alteração no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) à vistoria do ato na matriz ou filial pela Receita Federal e do Registro do Comércio.

O projeto irá agora ao Senado para votação.

Não foi discutido, não se ouviu a opinião das classes interessadas e nem foi objeto de um debate.

Se for aprovado será uma nova investida contra a racionalidade do processo econômico, com prejuízos evidentes para toda a comunidade.

Duvido, também, que com o quadro de agentes já sobrecarregados de trabalhos que possui, a Receita Federal disponha de elementos para isto, o mesmo ocorrendo com os Registros do Comércio.

Duvido, ainda, que seja interesse desses órgãos realizarem tais inspeções como imprescindíveis; de muito maior relevância são os objetivos de tais entidades. Muito ao contrário o que ocorrerá será o tumulto da já assoberbada Secretaria Nacional da Receita que uniu o governo de tributos federais e contribuições previdenciárias.

O entrave que advirá de tal inadequação será grave e não apresentará resultados práticos para a Nação; ao contrário, perderão todos.

O desconhecimento sobre a realidade da vida empresarial, o despreparo em relação às necessidades econômicas de nosso país, a falta de compromisso para com o crescimento econômico, a nula ou modestíssima cultura contábil e administrativa, são fatores responsáveis por muitos erros cometidos em áreas legislativas e normativas.

O Estado que deveria ser em tese um estimulador do trabalho e do empreendimento acaba, muitas vezes, através de alguns dos seus dirigentes e políticos, militando contra o povo.

Ou seja, em vez de existir um ente para amparar e estruturar termina este por perseguir e obstruir o que por índole deveria ser construtivo, como é exemplo o fato que aqui se objetiva.

A carta aberta dos profissionais do Direito à nação egressa da XIX Conferência Nacional dos Advogados, realizada em Santa Catarina, somando a tudo isso graves denúncias, enseja extrema preocupação ao externar que: "A União, por sua vez, ameaça o equilíbrio federativo, na medida em que não promove a justa repartição da receita tributária entre estados e municípios. E o Executivo usurpa a função legislativa do Congresso Nacional, com a excessiva edição de medidas provisórias".

A imagem do Congresso, pois, não está apenas periclitante perante o conceito dos Contadores e Economistas, no que tange a burocracia e aprovação de projetos lesivos à economia do Brasil, mas, também, perante a poderosa, numerosa e expressiva socialmente classe dos advogados.

Debilidade de conhecimento econômico e contábil sobre a realidade nacional, deveras significativa, se consagrou com a aprovação do projeto objeto deste comentário.

A justificativa que foi apresentada para sustentar o malsinado, de que coibiria as fraudes é expressivamente falsa e insustentável.

Tal argumento só pode ser sustentado por quem desconhece a realidade sobre as fraudes.

É tal projeto uma forma de buscar pela lei a exceção para transformá-la em regra, ou seja, é ensejo de praticar a inversão da ordem lógica das coisas.

É como matar o boi para eliminar os carrapatos que possa ter.

Um despropósito, grave erro técnico do ponto de vista tributário, econômico, administrativo e moral.

Consagra-se, com a aprovação do projeto, a apologia da tese de que todo mundo é desonesto até provar que é honesto, ou seja, a inversão da lógica aceita pelo Direito, pela Ética.

Os contadores, nesse somatório de leis, instruções normativas, resoluções, normas, portarias e acórdãos ficam com uma rara responsabilidade de encargos, tão como os empresários preocupados e subtraídos em sua produtividade, todos atingidos por mais esta investida contra o racional.

Proposições dessa natureza são contrárias às pretensões de desenvolvimento econômico, onde as empresas de menor porte, as mais numerosas, são as principais vítimas.

O argumento de que tal projeto é um veículo de combate à fraude seria, todavia, seria válido se também proposta fosse a dissolução do Congresso porque existem alguns fraudadores e corruptos em tal ambiente...

Novidades da Legislação

Tributos Federais

IMPOSTO DE RENDA

Dacon - Pessoas jurídicas obrigadas à apresentação.


EDITORIAL IOB

Dacon - Pessoas jurídicas dispensadas da apresentação.


INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 570/2005.

Dispõe sobre a instituição e a utilização da Declaração de Trânsito Aduaneiro Internacional a ser utilizada nas operações de trânsito aduaneiro internacional entre o Brasil e a Venezuela, e dá outras providências.


Ato Declaratório Executivo RFB nº 58, de 21 de setembro de 2005.

Divulga enquadramento de bebidas, segundo o regime de tributação do Imposto sobre Produtos Industrializados de que trata o art. 1º da Lei nº 7.798, de 10 de julho de 1989.


Ato Declaratório Executivo Corat 063.

Divulga a Agenda Tributária do mês de outubro de 2005.


Ato Declaratório Executivo Corat 062.

Dispõe sobre o preenchimento da Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais nas versões "DCTF Mensal 1.1" e "DCTF Semestral 1.0.


Ato Declaratório Executivo Corat 056.

Dispõe sobre a instituição e a alteração de códigos de receita que especifica.


PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE O IMPOSTO SIMPLES

122. A Pessoa Jurídica tributada até o ano-calendário anterior pelo Lucro Real e que optar pelo Simples deverá considerar realizados integralmente os valores controlados na parte B do Lalur, inclusive o Lucro Inflacionário acumulado, ou poderá manter diferimento da tributação dessas importâncias?
A opção pela forma de pagamento dos tributos pela modalidade do Simples ocasionará o pagamento em até 30 (trinta) dias do início dos efeitos da opção, de todos os valores diferidos (IN SRF no 355, de 2003, art. 18).

123. Como serão tributados os rendimentos, os ganhos líquidos e os ganhos de capital auferidos pela pessoa jurídica inscrita no Simples?
Os ganhos e rendimentos auferidos em qualquer das citadas modalidades são tributados consoante as regras a seguir:

a. no caso de renda fixa os rendimentos são tributados exclusivamente na fonte à alíquota de 20% (vinte por cento);
b. nas hipóteses de operações de renda variável os ganhos líquidos são apurados e pagos pela própria Pessoa Jurídica optante pelo Simples à alíquota de 20% (vinte por cento), nos termos da IN SRF no 25, de 2001;
c. os ganhos de capital auferidos em alienações de bens do ativo permanente da pessoa jurídica e de ouro não considerado ativo financeiro, resultantes da diferença positiva obtida entre o valor da alienação e o valor contábil, expressos em reais, serão tributados à alíquota de 15% (quinze por cento), sendo recolhidos pela própria pessoa jurídica, até o último dia útil do mês subseqüente ao da percepção dos ganhos.

NOTAS:
Código de Receita de Ganho de Capital: 6297Valor contábil é o valor de aquisição diminuído da depreciação, amortização ou exaustão acumulada e, no caso de investimentos, considerado o ágio ou deságio.

124. Qual tratamento tributário, relativamente ao IPI vinculado à importação, deve ser dispensado a empresas importadoras enquadradas no Simples?
O importador, por ocasião do desembaraço aduaneiro, pagará IPI normalmente, em conformidade com a legislação específica. O percentual de 0,5% (meio por cento) previsto nas normas do Simples incide sobre a receita bruta, o que não é o caso da importação, pois o IPI vinculado à importação incide na entrada do produto.

Atos Jurídicos Estadual e Legislação do ICMS e outros Tributos - Bahia

Lei nº 9.655/05

Dispõe sobre a concessão e a inaptidão da inscrição no Cadastro de Contribuintes do ICMS do Estado da Bahia para contribuintes que realizem operações com derivados de petróleo, gás natural e combustíveis líquidos carburantes e dá outras providências.


NOTA FISCAL ELETRÔNICA - COMBUSTÍVEL


INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 55/05

Fixa a base de cálculo para efeito de incidência do ICMS, na primeira operação realizada pelos produtores com o produto caroço de algodão.


INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 56/05

Fixa a base de cálculo para efeito de incidência do ICMS, na primeira operação realizada pelos produtores com os produtos feijão carioquinha e feijão mulatinho.

Atos Jurídicos Municipais e Legislação de ISS e Outros Tributos Municipais

Tire aqui suas dúvidas tributárias com a SEFAZ de Salvador

- Perguntas mais freqüentes
- Converse com o auditor
- Consultas por e-mail


Confirma o vencimento dos tributos municipais em outubro/2005.


Corregedoria alerta para golpes contra contribuintes (28/09/2005).

Legislação Trabalhista

- SAIBA TUDO SOBRE O SEGURO DESEMPREGO
- VEJA AQUI LEGISLAÇÃO SOBRE O EMPREGO DE DOMESTICO
- VEJA AQUI AS PRINCIPAIS REGRAS QUE NORTEIAM AS RELAÇÕES DE EMPREGO
- VEJA AQUI A LEGISLAÇÃO SOBRE O PAT - PROGRAMA DE ALIMENTAÇÃO AO TRABALHADOR
-
VEJA AQUI TUDO SOBRE A LEGISLAÇÃO DO FGTS


Lei Nº 11.180

Institui o Projeto Escola de Fábrica, autoriza a concessão de bolsas de permanência a estudantes beneficiários do Programa Universidade para Todos - PROUNI, institui o Programa de Educação Tutorial - PET, altera a Lei nº 5.537, de 21 de novembro de 1968, e a Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, e dá outras providências.


EDITORIAL IOB

Primeiro Emprego (rural) - Aprovadas normas.


TST - Condenação por concessão irregular de férias.

Legislação Previdenciária

Decreto nº 5.545, de 22.09.2005 - DOU 1 de 23.09.2005 - Entre outras providências alterou dispositivos do Regulamento da Previdência Social, aprovado pelo Decreto nº 3.048/1999.


Comissão aprova mudança de prazo para pagamento do INSS - Os PLs 3207/00, 5645/01 e 1133/03 tramitam em conjunto com a proposta aprovada, que segue agora para exame da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.


Notícias gentilmente cedidas pelos parceiros do CRCBA:
FVCCONSULT   Câmara de Dirigentes de Empresas de Contabilidade do Estado da Bahia   IOB THOMSON   Fiscosoft

As informações contábeis e tributárias aqui publicadas não representam a totalidade das introduções e novidades da legislação, mas tão somente algumas selecionadas pelos nossos parceiros editores. Continue utilizando as outras fontes de informação de seu habitual acesso. Elas são e continuarão sendo, fontes imprescindíveis para seu aperfeiçoamento profissional. 

Informações de Entidades Vinculadas à Classe Contábil

Entidade

Espaço destinado aos sindicatos, associações, diretórios acadêmicos de faculdades de Ciências Contábeis e demais entidades da classe contábil.

Publicação de Livros, Artigos Técnicos e Científicos

Trabalhos do 17º Congresso Brasileiro de Contabilidade
Acesse o conteúdo dos 94 trabalhos selecionados para apresentação durante o evento e os cinco melhores artigos premiados em Santos/SP. Os arquivos estão disponibilizados por temas. Leia também o conteúdo das principais palestras proferidas no evento. Clique aqui e boa leitura!

Livros On-line

  1. Luca Pacioli - Um mestre do Renascimento
  2. Manual de Procedimentos Contábeis para Fundações e Entidades de Interesse Social - 2ª Edição
  3. Abordagens Éticas para o Profissional Contábil
  4. Contrato de Prestação de Serviços de Contabilidade
  5. Manual de Procedimentos Processuais - Sistema CFC/CRCs
  6. Fundo de Integração e Desenvolvimento da Profissão Contábil - FIDES
  7. Manual da Estrutura Contábil e Orçamentária do Sistema CFC/CRCs
  8. Manual de Procedimentos Contábeis para Fundações e Entidades de Interesse Social
  9. Agenda Legislativa – Sistema Contábil Brasileiro, edição 2003 - Parte 01
  10. Agenda Legislativa – Sistema Contábil Brasileiro, edição 2003 - Parte 02
  11. Normas sobre Eleições Sistema CFC/CRCs
  12. Mensagem a um Futuro Contabilista
  13. LRF Fácil - Guia Contábil da Lei de Responsabilidade Fiscal - Volume IV - Agenda das Principais Obrigações Municipais
  14. LRF Fácil - Guia Contábil da Lei de Responsabilidade Fiscal - Volume III - Demonstrações e Relatórios
  15. LRF Fácil - Guia Contábil da Lei de Responsabilidade Fiscal - Volume II - Instrumentos de Planejamento
  16. LRF Fácil - Guia Contábil da Lei de Responsabilidade Fiscal - Volume I - Aspectos Gerais
  17. Princípios Fundamentais e Normas Brasileiras de Contabilidade de Auditoria e Perícia
  18. Principios Fundamentais e Normas Brasileiras de Contabilidade
  19. O Combate à Corrupção - Nas Prefeituras do Brasil
  20. Exame de Suficiência 2003 - Sistema CFC/CRC´s
  21. Seleção de Pareceres da Câmara Técnica de 1994 a 2002 - Parte 01 do arquivo PDF
  22. Seleção de Pareceres da Câmara Técnica de 1994 a 2002 - Parte 02 do arquivo PDF
  23. Reforma Tributária
  24. Legislação da Profissão Contábil
  25. Manual de Procedimentos Contábeis para Micro e Pequenas Empresas

Outros trabalhos

Autor(es) Título
Adeildo Osório de Oliveira O Mundo Corporativo Influenciado pelo Movimento Contábil
Arthur Magalhães Andrade Um Mercado cada vez mais Competitivo 
Edvar Ximenes O Suplício dos Contabilistas no Atendimento pelos Órgãos Públicos 
Jocacio Ferreira Cerqueira e Wilson Pereira Oliveira Socialização da Informação Contábil para os Micro Empresários
José Carlos Travessa de Souza Auditoria em Shopping Center: Uso de Métodos quantitativos na avaliação da Omissão de Aluguéis
Luiz Fernando Coelho da Rocha Elementos sobre a Doutrina Científica do Neopatrimonialismo Contábil
Marcos Cintra Discriminação contra os prestadores de serviços
Marcos Cintra Ética tributária
Maurício Fernando Cunha Smijtink O caso das fraudes em empresas: de vilã, a Contabilidade tem tudo para se tornar heroína
Natólio de Souza Custo do Capital
Nivaldo Cleto Serviços disponibilizados pela Receita Federal na Internet, uma luz no final do tunel
Nourival Resende A lição dos inconfidentes
Odoni Pedro Floriani Auditoria: Do Gênesis aos dias de hoje
Pedro Coelho Neto MP 135: Disfarce para arrecadar mais
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Análise de Balanços e Modelos Científicos em Contabilidade
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá As Matemáticas, o Social e a Classificação Científica da Contabilidade
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Código de Ética e Mercado
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Conceito Contábil de Lucro
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Comparação de Valores em Contabilidade
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Correlações entre Componentes do Custo
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Novas Visões na Profissão Contábil
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Célula Social e Contabilidade
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Fundamentos do Neopatrimonialismo
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Prosperidade e o Esforço Científico do Neopatrimonialismo Contábil para Uma Nova Sociedade
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Teoria Contábil da Socialidade e Contabilidade Social
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Variações do Capital Próprio e a Prosperidade das Empresas
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá A Ética da Resposta
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Sigilo Profissional em Contabilidade 
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Tendências e Futuro da Contabilidade
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Colóquio Necessário a Continuidade das Empresas
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Sinceridade nas Contas
Prof. Wilson Alberto Zappa Hoog Sociedade Limitada e a Responsabilidade, em Harmonia com Novo Código Civil
Prof. Wilson Zappa A Recuperação da Atividade Empresarial
Prof.Carlos Alberto Serra Negra Stewart está equivocado. A Contabilidade funciona

 

Envie seus artigos para análise e publicação!

Boletim Eletrônico do CRCBA
 

Comitê Editorial
- Edmar Sombra Bezerra
- Edson Piedade Campos
- Edvaldo Paulo de Araújo
- José Carlos Travessa
- Miguel Angelo Nery Boaventura
- Bartolomeu Jorge Santos de Araújo
- Erivaldo Pereira Benevides
- Geraldo Vianna Machado
- Hélio Barreto Jorge
- Hildebrando Oliveira de Abreu
- José de Andrade Silva Filho
- José Roberto Ferreira da Silva
- Olegário Santos Souza
- Vera Lúcia Santos Barbosa Gomes
- Wellington do Carmo Cruz

Editoração
- Roberto Vivas da Silva

Fale conosco:
eboletim@crcba.org.br

Acesse o Boletim no seu navegador:
Clique aqui!

 
As notícias exibidas semanalmente pelo Boletim Eletrônico co CRCBA são extraídas dos principais períódicos do país e, portanto, são de inteira responsabilidade de quem as publicou originalmente, ficando, assim, o CRCBA isento de qualquer opinião, tendência ou veracidade da informação.