Acesse o Boletim Eletrônico - CRCBA no seu navegador: http://www.crcba.org.br/boletim
Conselho Regional de Contabilidade do Estado da Bahia
Edição n.º 37 - 05 de setembro de 2005

Profissão Contábil: Instrumento de Cidadania

Confira abaixo as legislações e informações de seu interesse e uso diário.
Acesse clicando nos links respectivos e bom uso!

Sua Biblioteca

Códigos:
[Tributário Nacional]
[Tributário Estadual]
[Tributário Municipal-SSA]
[Ética do Contabilista]
[Civil Brasileiro]
[Penal Brasileiro]
Regulamentos:
[Imposto de Renda]
[ITR]
[SIMPLES]
[PIS/COFINS]
[IPI]
[Aduaneiro]
[Previdência Social]
[ICMS-Bahia]
[DMS-Salvador]
[Perguntas e Respostas - SIMPLES]
Receita Federal:
[Agenda Tributária]
[Tabela de IR Retido na Fonte]
[Tabela IPI]
[Novidades da Receita]
[Taxa de Juros-SELIC]
[Notícias da Receita]
[Certidão PF]
[Certidão PJ]
[Comércio Exterior]
[CSLL]
[DACON]
Outros:
[Constituição Brasileira]
[Constituição Baiana]
[Lei de Resp. Fiscal]
[Lei n.º 4320/64]
[Lei das SA (Atualizada)]
[CLT]
[Publicações On-line-CFC]
[NBCTs
[Resoluções CFC]
[Resoluções CRCBA]
[Notícias SEFAZ SSA]
[Certidão PGFN]

Seus Links

Entidades de Classe:
[CFC - Conselho Federal de Contabilidade]
[AIC]
[AUDIBRA]
[CVM]
[IASB]
[IBRACON]
[FENACON]
[SESCAP]
[SINDCEB]
Outros:
[Receita Federal]
[Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional - PGFN]
[Fazenda Estadual]
[Fazenda Municipal-SSA]
[Junta Comercial-Bahia]
[Presidência da República]
[IOB]
[Fiscosoft]
[FVCConsult]
[Conheça a Bahia (Bahia.com.br)]

Programa de Fiscalização da Prefeitura de Salvador - Bahia

Contabilista veja se seu cliente está na programação de Fiscalização. Clique aqui.

Eventos
 

Eventos programados:
Clique aqui para ver os eventos programados...

Eventos realizados:
Clique aqui para ver outros...

Para sua reflexão

  • Tenha firmeza em suas atitudes e persistência em seu ideal.
  • Nas seja paciente, não pretendendo que tudo lhe chegue de imediato.
  • Há tempo para tudo.
  • E tudo o eu é seu virá às suas mãos, no momento oportuno.
  • Saiba esperar o momento exato em que receberá os benefícios que pleiteia.
  • Aguarde com paciência que os frutos amadureçam par que possa apreciar devidamente sua doçura.

Manchetes
 

26ª Conferência Interamericana de Contabilidade - Salvador/BA26ª Conferência Interamericana de Contabilidade - Salvador/BA

Entre os dias 23 a 26 de outubro, nossa capital (Salvador) irá sediar a 26ª Conferência Interamericana de Contabilidade, um dos mais importantes eventos voltados para a classe contábil no mundo.
Clique aqui ou acesse o endereço www.26cic.com.br e veja tudo sobre a 26ª CIC. Inscrições abertas!


A carga tributária vai aumentar - O Estado de S.Paulo - SP


Auditoria - Companhias evitam divulgar honorários - Valor Econômico


As Receitas Relativas às Atividades Próprias das Fundações - FISCOSOFT (www.fiscosoft.com.br)


Participação nos Lucros ou Resultados - Considerações


Eventos voltados para a Educação Continuada

Consulte nosso serviço de eventos e veja a grade programada para a Capital. São eventos de suma importância para o desenvolvimento profissional e intelectual dos contabilistas e espero que todos possam usufrir desses benefícios oferecidos pelo nosso CRCBA.

Em breve estaremos divulgando um intenso programa de educação continuada para o Interior do Estado e estamos convictos que atenderemos os anseios dos nossos colegas. Aguardem...

Empresas de software apostam no mercado contábil - Jornal do Comércio - RS


LIMITE MAIOR DO SIMPLES BENEFICIARÁ APROXIMADAMENTE 80.000 EMPRESAS


Empresas querem novo padrão contábil - Estado de S.Paulo - SP

Cresce interesse nas normas internacionais de contabilidade para relatórios financeiros.


Isenção de taxa de pequena empresa é aprovada em comissão - Agência Câmara


Comissão aprova taxa menor para registro - Agência Câmara


Novas Normas Contábeis no Futebol: palestra mostra necessidade de transparência - CRC SP


Simplificação reduz a sonegação tributária, diz Everardo Maciel - Jornal do Comércio - RS


Contabilistas em Expressivos Cargos

Em breve estaremos divulgando nomes de profissionais contábeis exercendo funções não contábeis, tais como dirigentes de grandes corporações privadas, públicas, civis e de relevância nacional. Aguardem...

Indique aqui o nome, número do CRC, o cargo e a entidade.

Conselhos Federal e Regional de Contabilidade
Novidades da Legislação e da Profissão
Matérias Contábeis

Contabilidade - Aquisição de hardware e software - Tratamento
EDITORIAL IOB - PUBLICADO PELO PORTAL DO CONTABILTA www.constabilista-sp.com.br


Contabilidade - Ajuste de exercícios anteriores - Conceito - EDITORIAL IOB


Anuladas questões da prova do Bacen

A Comissão Organizadora do Exame de Qualificação Técnica para registro no Cadastro Nacional de Auditores Independentes (CNAI) do CFC informa a anulação de três questões da prova para atuação em instituições reguladas pelo Banco Central. Saiba quais foram os procedimentos adotados. Leia, ainda, outras notícias sobre o Exame.


Resolução 2005/001031 de 18.08.2005

Qualificação Técnica Cadastro Auditores Independentes.

Coletânea de Comentários

CONTABILIDADE GERENCIAL E O PROCESSO DE CRIAÇÃO DE VALOR
MARCILIO NASCIMENTO DE FARIAS*
Artigo publicado na coluna do Jornal O Povo do dia 12/08/2005

 

Diversos autores definem a contabilidade gerencial como sendo o conjunto de informações que cria valor. Esta definição corresponde ao atual grau de amadurecimento desta disciplina que, ao longo dos anos foi-se aperfeiçoando e hoje se configura como uma das principais fornecedoras de informações da gestão econômica das entidades empresariais. A evolução da disciplina pode ser resumidamente apresentada em quatro etapas: A primeira etapa de desenvolvimento tinha seu foco voltado para o controle de custos e financeiros, em seguida o foco muda para o de planejamento empresarial, redução de desperdícios e, finalmente direciona sua atenção ao processo de criação de valor. Mas, afinal, o que vem a ser o processo de criação de valor? Como efetivamente poderá a contabilidade gerencial dar suporte a este processo?

Para responder estes questionamentos devemos admitir o pressuposto que, as empresas que tendem a concentrar-se na criação de valor, criarão empresas mais saudáveis do que os que não fizerem e, que empresas mais saudáveis levam a economias mais sólidas, padrões de vida mais elevados e maiores oportunidades de carreira e de negócios para os indivíduos. E, ainda, ter em mente que, aceitar a criação de valor como principal objetivo organizacional é só um começo. As empresas devem também ser capazes de avaliar seu progresso no alcance de seus objetivos. Ou seja, deverá a empresa determinar um critério de medição a ser utilizado no processo de acompanhamento da criação de valor.

Respondendo as questões propostas, pode-se dizer que criar valor está intimamente relacionado à capacidade da empresa gerar benefícios futuros (caixa) superiores aos desembolsos feitos no presente. Ora, para que alguém comprometa seu caixa hoje é preciso que haja uma expectativa de ganhos superiores no futuro. Para tanto, deve-se levar em conta a magnitude dos ganhos (quanto), o tempo de ocorrência (quando) e, o grau de incerteza associado (risco). Ademais, a empresa necessita realizar uma comparação entre os ganhos futuros e os gastos presentes. Caso os ganhos trazidos a valor presente (descontados) sejam superiores aos desembolsos, a empresa criará valor, caso contrário, haverá destruição de valor. Esta comparação de valores remete ao conceito contábil de fluxo de caixa.

Diante deste contexto, a contabilidade gerencial caracteriza-se como catalisadora das decisões empresariais, pois, atua diretamente no fornecimento de informações de suporte empresarial, as quais são colocadas numa perspectiva diferente, num grau de detalhe mais analítico ou numa forma de apresentação e classificação diferenciada. Aqui reside a grande responsabilidade da contabilidade gerencial: a de fornecer informações adequadas e tempestivas no processo de decisão, as quais serão percebidas na oportunidade de mensuração da criação de valor. Noutra oportunidade falarei das técnicas de contabilidade gerencial que são capazes de realizar a mensuração e o acompanhamento da criação de valor.

 

*MARCILIO NASCIMENTO DE FARIAS: Contador, Mestre em Administração e Professor Universitário da UFC.


CERTIDÃO CONJUNTA - RFB e PGFN
Certidão Negativa Conjunta: A partir de 1º de setembro próximo
Publicado no www.crc-ce.org.br

 

Foi publicada no último dia 23 a IN-RFB nº 558, de 19.8.2005, dispondo sobre modelos de certidões acerca da situação do sujeito passivo em relação aos tributos administrados pela Receita Federal do Brasil, atendendo ao que dispõe o Decreto nº 5.512, de 15.8.2005, o qual trata da prova de regularidade fiscal perante a Fazenda Nacional.

A partir de 1º de setembro de 2005, as informações de que tratam as certidões da Receita Federal do Brasil, quanto aos tributos por ela administrados, e da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, quanto à Dívida Ativa da União, constarão de certidão conjunta expedida pela Receita Federal do Brasil ou Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, ou seja, a certidão conjunta poderá ser solicitada em qualquer do dois Órgãos, mas as pendências porventura existentes serão solucionadas na Repartição da pendência.

A validade da certidão acima será de 180 dias, podendo ser fixado prazo inferior mediante ato expedito pela Receita Federal do Brasil e Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional.

A certidão das contribuições sociais (INSS) das empresas, incidentes sobre a remuneração paga ou creditada aos segurados a seu serviço (contribuição patronal), as contribuições dos empregados domésticos e as dos trabalhadores, incidentes sobre o salário-de-contribuição (alíneas "a", "b" e "c" do parágrafo único do art. 11 da Lei nº 8.212, de 1991), as contribuições instituídas a título de substituição, e as contribuições devidas, por lei, a terceiros, inclusive as inscritas, até 14 de agosto de 2005, em dívida ativa do Instituto Nacional do Seguro Social - INSS, será expedida pela Receita Federal do Brasil, mas sua emissão ainda será requerida nas dependências da antiga Delegacia da Receita Previdenciária, com observância das normas atualmente em vigor.

As certidões acima (contribuições previdenciárias) serão emitidas pela RFB conforme os modelos de Certidão Negativa de Débitos, de Certidão Positiva com Efeitos de Negativa e de Certidão Positiva, bem como de Declaração de Regularidade de Situação do Contribuinte Individual, constantes dos Anexos I a VIII da IN acima citada.

A validade da certidão acima (INSS) será de 60 dias, contados da sua emissão, podendo ser ampliado por regulamento para até 180 dias (§5º do art. 47 da Lei nº 8.212, de 1991).

As declarações acima provam a regularidade fiscal perante a Fazenda Nacional, na forma de atos a serem expedidos pela Receita Federal do Brasil e pela Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional.

Novidades da Legislação

Tributos Federais

Leia aqui dezenas de perguntas e respostas sobre o imposto "SIMPLES"


Receita Federal e Procuradoria unificam certidões negativas - Contribuições da extinta Secretaria de Receita Previdenciária, no entanto, continuam em documento separado - Publicado por www.notadez.com.br


Fisco libera certidão de débito unificada - Diário do Comércio - SP


Instrução Normativa RFB 567

Estabelece procedimentos a serem observados pelas empresas industriais, de comunicação, de pesca, de transporte ferroviário e metroviário, relativamente ao cumprimento da obrigação de recolher as contribuições sociais devidas por lei ao Serviço Social da Indústria (SESI) e ao Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI).


Instrução Normativa RFB 566

Estabelece procedimentos a serem observados no recolhimento da contribuição social do salário-educação, disciplinada pelas Leis nº 9.424, de 24 de dezembro de 1996, e nº 9.766, de 18 de dezembro de 1998, e pelo Decreto nº 3.142, de 16 de agosto de 1999.


Instrução Normativa RFB 565

Dispõe sobre a regularidade fiscal do sujeito passivo, quanto aos tributos administrados pela Receita Federal do Brasil, para efeitos de emissão de certidão conjunta perante a Receita Federal do Brasil e a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional e dá outras providências.


Instrução Normativa RFB 564

Altera a Instrução Normativa SRF nº 513, de 17 de fevereiro de 2005, que dispõe sobre a aplicação do regime aduaneiro especial de entreposto aduaneiro em plataformas destinadas à pesquisa e lavra de jazidas de petróleo e gás natural em construção ou conversão no País, contratadas por empresas sediadas no exterior.


Instrução Normativa RFB 563

Altera a Instrução Normativa SRF nº 460, de 18 de outubro de 2004.


IRPF - Livro Caixa - Escrituração pelos profissionais autônomos - Publicado por www.iob.com.br

Os profissionais autônomos sujeitos ao carnê-leão podem deduzir do rendimento bruto mensal (e na Declaração de Ajuste Anual) as despesas relativas ao exercício da atividade, desde que lastreadas em documentação idônea e devidamente escrituradas em livro Caixa.

Todavia, estão impedidos de deduzir as despesas escrituradas no livro Caixa os contribuintes pessoas físicas que perceberem rendimentos:

a) de trabalho assalariado;
b) de serviços em veículo próprio, locado, objeto de arrendamento mercantil ou adquirido com reserva de domínio ou alienação fiduciária, que tem como rendimento mínimo tributável 40% do rendimento total, quando decorrente do transporte de cargas e de serviços com trator, máquinas de terraplanagem, colheitadeira e assemelhados, e 60% do rendimento total, quando decorrente do transporte de passageiros;
c) de aluguéis;
d) de garimpeiros que consideram como rendimento tributável, no mínimo, 10% do total recebido na venda, a empresas legalmente habilitadas, de metais preciosos e semipreciosos por eles extraídos de atos cartorários, judiciais e extrajudiciais;
e) as despesas de custeio pagas necessárias à percepção da receita e à manutenção da fonte produtora.

Não podem ser deduzidos, entretanto:

a) as quotas de depreciação de instalações, máquinas e equipamentos;
b) as despesas de arrendamento mercantil (leasing);
c) as despesas com locomoção e transporte, salvo no caso de representante comercial autônomo e de transporte para o comparecimento em congressos, seminários etc.;
d) os dispêndios que têm a natureza de aplicação de capital em bens (ainda que necessários ao desempenho da atividade profissional ou à manutenção da fonte produtora) cuja vida útil ultrapasse o período de um ano;
e) os gastos com consertos, manutenção e reforma de imóvel de propriedade do contribuinte.

Os documentos escriturados no livro Caixa devem ser mantidos em poder do contribuinte, à disposição do Fisco, para conferência e comprovação, enquanto não ocorrer prescrição ou decadência.

Conforme estabelecido nos arts. 898 e 901 do RIR/1999, a faculdade de proceder a novo lançamento e ao exame nos livros e documentos decai no prazo de seis anos contados do 1º dia do exercício seguinte àquele em que o lançamento poderia ter sido efetuado.

Portanto, o livro Caixa escriturado no ano-calendário de 2005 deverá ser mantido até 31.12.2010.

A legislação do Imposto de Renda admite a dedução das seguintes despesas:

a) a remuneração paga a terceiros, desde que com vínculo empregatício, e os encargos trabalhistas e previdenciários;
b) os emolumentos pagos a terceiros, assim consideradas as retribuições pela execução, pelos serventuários públicos.


Fiscos vão reduzir exigências e acelerar processos - Publicado originalmente por www.fiscosoft.com.br

Assinatura de acordos entre as administrações tributárias das três esferas de governo prevê sincronização dos cadastros e criação da nota fiscal eletrônica. A Receita Federal do Brasil e as secretarias de Fazenda dos Estados e municípios deram um grande passo na semana passada com vistas à redução do nível de exigência em processos envolvendo as três esferas de governo. União, Estados e municípios reuniram-se entre os dias 26 e 27 deste mês, no 2º Encontro Nacional de Administradores Tributários (Enat).

Os administradores tributários da União, Estados e municípios comprometeram-se a implementar medidas para racionalizar as ações dos fiscos. Foram assinados três protocolos de intenções: Sistema Público de Escrituração Digital, Nota Fiscal Eletrônica e Uniformização da Classificação de Atividades Econômicas. Houve ainda a assinatura de mais 20 convênios de adesão ao cadastro sincronizado (CNPJ)..

Nota Fiscal Eletrônica

O primeiro protocolo vai facilitar o cumprimento das obrigações acessórias pelos contribuintes. Propiciará aumento da competitividade das empresas brasileiras pela racionalização das obrigações acessórias (redução do "custo Brasil"), em especial a dispensa da emissão e guarda de documentos em papel. Às administrações tributárias, a Nota Fiscal Eletrônica permitirá padronização e melhoria na qualidade das informações, racionalização de custos e maior eficácia da fiscalização. O projeto prevê as seguintes etapas:

I - substituição das notas fiscais em papel por documento eletrônico;
II - validade jurídica dos documentos digitais;
III - padronização nacional da NF-e;
IV - mínima interferência no ambiente operacional do contribuinte;
V - compartilhamento da NF-e entre as administrações tributárias.

Sistema Público de Escrituração Digital

Outro protocolo prevê o estabelecimento do Sistema Público de Escrituração Digital, que propiciará aos contribuintes simplificação e racionalização de obrigações acessórias, agilização dos procedimentos sujeitos a controle das administrações tributárias e redução de custos com armazenamento de documentos em papel. Os fiscos ganham maior integração administrativa, padronização e melhor qualidade das informações, racionalização de custos e maior eficácia da fiscalização.

Representantes das administrações tributárias trabalharão para que o Sistema seja instituído nas seguintes bases:

I - bases de dados compartilhadas entre as Administrações Tributárias;
II - reciprocidade na aceitação da legislação de cada ente signatário, relativa aos livros contábeis e fiscais;
III - validade jurídica dos livros contábeis e fiscais em meio digital, dispensando a emissão e guarda de documentos e livros em papel;
IV - eliminação da redundância de informações através da padronização e racionalização das obrigações acessórias;

Uniformização da Classificação Fiscal

Uma necessidade básica para a construção de um cadastro integrado, que atenda aos interesses da administração tributária das três esferas de governo, é a uniformidade nacional na classificação das atividades econômicas.

O terceiro protocolo assinado em São Paulo prevê a implementação de um Sistema Único Informatizado de Codificação para atribuir o código de Classificação Nacional de Atividades Econômicas CNAE - Fiscal.

Os secretários se comprometeram a utilizar o sistema para uso compartilhado dos órgãos que atuam em mesma jurisdição e a viabilizar as condições para a atualização permanente da codificação atribuída aos agentes econômicos estabelecidos no país.

Sincronização de Cadastros

Em São Paulo, foram firmados mais 15 convênios com os Estados do AC, AL, AP, CE, ES, MA, MG, PA, PE, PR, RN, RR, RS, SC e SE. Já tinham assinado o convênio os Estados de SP e BA. Eles terão os cadastros sincronizados a partir de setembro. Além dos Estados, os municípios de Aracaju, Salvador, São Paulo, Belo Horizonte e Contagem (MG) também assinaram convênios nesse sentido.

Os convênios prevêem a adoção do número de inscrição no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) como identificador cadastral dos contribuintes no âmbito dos Estados e municípios.

Está previsto também o intercâmbio de informações e a disponibilização das respectivas bases de dados cadastrais dos contribuintes em geral, para fins de agilização da obtenção, pelos contribuintes, do seu cadastramento junto à RFB e aos Fiscos Estaduais e Municipais, com a mínima exigência possível de documentos em papel.

Atos Jurídicos Estadual e Legislação do ICMS e outros Tributos - Bahia

Cadastro Sincronizado

Bahia e São Paulo compartilham cadastro nacional. Novo sistema traz mais eficiência na administração tributária. Saiba mais...


INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 50/05, DOE de 31.08.2005

Fixa a base de cálculo para efeito de incidência do ICMS, na primeira operação realizada pelos produtores com os produtos alho e milho.


INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 48/05, DOE de 19.08.2005

Fixa a base de cálculo para efeito de incidência do ICMS, na primeira operação realizada pelos produtores para o sorgo.


Novo SimBahia beneficia 91,4 mil micro e pequenas empresas do Estado

Atos Jurídicos Municipais e Legislação de ISS e Outros Tributos Municipais

Tire aqui suas duvidas tributarias com a sefaz de Salvador

- Perguntas mais freqüentes
- Converse com o auditor
- Consultas por e-mail


Jovens carentes vão reforçar atendimento na segunda etapa do Refis

A Secretaria Municipal da Fazenda (Sefaz) já se prepara para a segunda fase do Refis Municipal, a ser iniciada em outubro, quando os contribuintes poderão parcelar dívidas de qualquer valor em até 96 meses, com anistia total ou parcial de multas e juros. O órgão já começou a treinar 142 pessoas que foram contratadas para reforçar o atendimento, durante seis meses, nos 33 pontos de atendimento instalados pelo órgão. Foram reservadas oportunidades para jovens carentes assistidos pelo Consórcio da Juventude para o Primeiro Emprego.

Os novos atendentes foram selecionados através do Serviço Municipal de Intermediação de Mão-de-Obra (Simm), com reserva de 50% de vagas para jovens em busca do primeiro emprego, sendo a maioria assistida pelo consórcio. Trata-se de um programa do Ministério do Trabalho que conta com a participação de 14 organizações não-governamentais.

"Em todas as oportunidades, buscamos colocar em prática os princípios de inclusão social que são um marco da gestão de participação popular do prefeito João Henrique", afirmou o coordenador do Centro de Desenvolvimento e Capacitação (CDC) da Sefaz, Sílvio Humberto. "Será uma grande experiência para mim não só agora, mas para ao longo das novas oportunidades de emprego que possam vir na minha vida", declarou a estudante Ana Carla, de 18 anos, moradora do bairro de Tancredo Neves.

A estudante também gostou do treinamento específico para o Refis. "Muito interessante e estou até ganhando conhecimento sobre as leis municipais, que eu não tinha antes", disse.


Material publicado no Diário Oficial do Município do Salvador e no site www.sefaz.salvador.ba.gov.br
Boletim do CRC divulga informações do Fisco Municipal

O boletim eletrônico informativo do Conselho Regional de Contabilidade (CRC), dirigido a cerca de 12 mil contabilistas do estado, abriu espaço permanente para a divulgação das informações relativas às medidas e normas da Secretaria Municipal da Fazenda (Sefaz).

"São informações que interessam muito à categoria e que auxiliam no trabalho junto aos clientes, sobretudo, nas questões referentes ao recolhimento do Imposto Sobre Serviços (ISS)", explicou Antonio Nogueira, ex-conselheiro e editor do boletim eletrônico da entidade.

Nogueira informa que as notícias divulgadas estão sempre atualizadas com as informações disponibilizadas pela Sefaz, através do site do órgão: www.sefaz.salvador.ba.gov.br. O CRC-Ba também vem sempre realizando entrevistas com técnicos da Sefaz, respondendo às dúvidas específicas da categoria. O boletim eletrônico da entidade pode ser acessado através do endereço: www.crcba.org.br/boletim.


Salvador adere ao cadastro sincronizado

O secretário Reub Celestino assina, em São Paulo, o protocolo de adesão da Prefeitura de Salvador ao Cadastro Sincronizado Nacional. Com a adesão, a Secretaria Municipal da Fazenda (Sefaz) já começa a adaptar seus sistemas de informática para o compartilhamento de informações com os fiscos estadual e federal.

A medida também facilita, significativamente, os processos burocráticos para abertura de empresas que, em breve, poderão operar nas três esferas de governo, com uma única inscrição referencial: o Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ). Reub assinará o convênio com o governo federal, durante o II Encontro Nacional de Administradores Tributários (Enat), que também contará com a presença do ministro da Fazenda, Antonio Palocci, e o secretário da Receita, Jorge Rachid.

Legislação Trabalhista

- SAIBA TUDO SOBRE O SEGURO DESEMPREGO
- VEJA AQUI LEGISLAÇÃO SOBRE O EMPREGO DE DOMESTICO
- VEJA AQUI AS PRINCIPAIS REGRAS QUE NORTEIAM AS RELAÇÕES DE EMPREGO
- VEJA AQUI A LEGISLAÇÃO SOBRE O PAT - PROGRAMA DE ALIMENTAÇÃO AO TRABALHADOR
-
VEJA AQUI TUDO SOBRE A LEGISLAÇÃO DO FGTS


PPP - Perfil Profissiográfico Previdenciário - Novas Normas - IN nº 118 de 14/04/2005, DOU de 18/04/2005 - FISCOSOFT- www.fiscosoft.com.br - Elaborado por Rodrigo Feitosa Dolabela Chagas

Legislação Previdenciária

Receita Federal passa a recolher contribuições do sistema "s"- Publicado por www.notadez.com.br


Notícias gentilmente cedidas pelos parceiros do CRCBA:
FVCCONSULT   Câmara de Dirigentes de Empresas de Contabilidade do Estado da Bahia   IOB THOMSON   Fiscosoft

As informações contábeis e tributárias aqui publicadas não representam a totalidade das introduções e novidades da legislação, mas tão somente algumas selecionadas pelos nossos parceiros editores. Continue utilizando as outras fontes de informação de seu habitual acesso. Elas são e continuarão sendo, fontes imprescindíveis para seu aperfeiçoamento profissional. 

Informações de Entidades Vinculadas à Classe Contábil

Entidade

Espaço destinado aos sindicatos, associações, diretórios acadêmicos de faculdades de Ciências Contábeis e demais entidades da classe contábil.

Publicação de Livros, Artigos Técnicos e Científicos

Trabalhos do 17º Congresso Brasileiro de Contabilidade
Acesse o conteúdo dos 94 trabalhos selecionados para apresentação durante o evento e os cinco melhores artigos premiados em Santos/SP. Os arquivos estão disponibilizados por temas. Leia também o conteúdo das principais palestras proferidas no evento. Clique aqui e boa leitura!

Livros On-line

  1. Luca Pacioli - Um mestre do Renascimento
  2. Manual de Procedimentos Contábeis para Fundações e Entidades de Interesse Social - 2ª Edição
  3. Abordagens Éticas para o Profissional Contábil
  4. Contrato de Prestação de Serviços de Contabilidade
  5. Manual de Procedimentos Processuais - Sistema CFC/CRCs
  6. Fundo de Integração e Desenvolvimento da Profissão Contábil - FIDES
  7. Manual da Estrutura Contábil e Orçamentária do Sistema CFC/CRCs
  8. Manual de Procedimentos Contábeis para Fundações e Entidades de Interesse Social
  9. Agenda Legislativa – Sistema Contábil Brasileiro, edição 2003 - Parte 01
  10. Agenda Legislativa – Sistema Contábil Brasileiro, edição 2003 - Parte 02
  11. Normas sobre Eleições Sistema CFC/CRCs
  12. Mensagem a um Futuro Contabilista
  13. LRF Fácil - Guia Contábil da Lei de Responsabilidade Fiscal - Volume IV - Agenda das Principais Obrigações Municipais
  14. LRF Fácil - Guia Contábil da Lei de Responsabilidade Fiscal - Volume III - Demonstrações e Relatórios
  15. LRF Fácil - Guia Contábil da Lei de Responsabilidade Fiscal - Volume II - Instrumentos de Planejamento
  16. LRF Fácil - Guia Contábil da Lei de Responsabilidade Fiscal - Volume I - Aspectos Gerais
  17. Princípios Fundamentais e Normas Brasileiras de Contabilidade de Auditoria e Perícia
  18. Principios Fundamentais e Normas Brasileiras de Contabilidade
  19. O Combate à Corrupção - Nas Prefeituras do Brasil
  20. Exame de Suficiência 2003 - Sistema CFC/CRC´s
  21. Seleção de Pareceres da Câmara Técnica de 1994 a 2002 - Parte 01 do arquivo PDF
  22. Seleção de Pareceres da Câmara Técnica de 1994 a 2002 - Parte 02 do arquivo PDF
  23. Reforma Tributária
  24. Legislação da Profissão Contábil
  25. Manual de Procedimentos Contábeis para Micro e Pequenas Empresas

Outros trabalhos

Autor(es) Título
Adeildo Osório de Oliveira O Mundo Corporativo Influenciado pelo Movimento Contábil
Arthur Magalhães Andrade Um Mercado cada vez mais Competitivo 
Edvar Ximenes O Suplício dos Contabilistas no Atendimento pelos Órgãos Públicos 
Jocacio Ferreira Cerqueira e Wilson Pereira Oliveira Socialização da Informação Contábil para os Micro Empresários
José Carlos Travessa de Souza Auditoria em Shopping Center: Uso de Métodos quantitativos na avaliação da Omissão de Aluguéis
Luiz Fernando Coelho da Rocha Elementos sobre a Doutrina Científica do Neopatrimonialismo Contábil
Marcos Cintra Discriminação contra os prestadores de serviços
Marcos Cintra Ética tributária
Maurício Fernando Cunha Smijtink O caso das fraudes em empresas: de vilã, a Contabilidade tem tudo para se tornar heroína
Natólio de Souza Custo do Capital
Nivaldo Cleto Serviços disponibilizados pela Receita Federal na Internet, uma luz no final do tunel
Nourival Resende A lição dos inconfidentes
Odoni Pedro Floriani Auditoria: Do Gênesis aos dias de hoje
Pedro Coelho Neto MP 135: Disfarce para arrecadar mais
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Análise de Balanços e Modelos Científicos em Contabilidade
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá As Matemáticas, o Social e a Classificação Científica da Contabilidade
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Código de Ética e Mercado
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Conceito Contábil de Lucro
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Comparação de Valores em Contabilidade
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Correlações entre Componentes do Custo
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Novas Visões na Profissão Contábil
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Célula Social e Contabilidade
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Fundamentos do Neopatrimonialismo
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Prosperidade e o Esforço Científico do Neopatrimonialismo Contábil para Uma Nova Sociedade
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Teoria Contábil da Socialidade e Contabilidade Social
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Variações do Capital Próprio e a Prosperidade das Empresas
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá A Ética da Resposta
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Sigilo Profissional em Contabilidade 
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Tendências e Futuro da Contabilidade
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Colóquio Necessário a Continuidade das Empresas
Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá Sinceridade nas Contas
Prof. Wilson Alberto Zappa Hoog Sociedade Limitada e a Responsabilidade, em Harmonia com Novo Código Civil
Prof. Wilson Zappa A Recuperação da Atividade Empresarial
Prof.Carlos Alberto Serra Negra Stewart está equivocado. A Contabilidade funciona

 

Envie seus artigos para análise e publicação!

Boletim Eletrônico do CRCBA
 

Comitê Editorial
- Edmar Sombra Bezerra
- Edson Piedade Campos
- Edvaldo Paulo de Araújo
- José Carlos Travessa
- Miguel Angelo Nery Boaventura
- Antonio Nogueira
- Bartolomeu Jorge Santos de Araújo
- Erivaldo Pereira Benevides
- Geraldo Vianna Machado
- Hélio Barreto Jorge
- Hildebrando Oliveira de Abreu
- José de Andrade Silva Filho
- José Roberto Ferreira da Silva
- Olegário Santos Souza
- Vera Lúcia Santos Barbosa Gomes
- Wellington do Carmo Cruz

Coordenação
- Antonio Nogueira

Editoração
- Roberto Vivas da Silva

Fale conosco:
eboletim@crcba.org.br

Acesse o Boletim no seu navegador:
Clique aqui!

 
As notícias exibidas semanalmente pelo Boletim Eletrônico co CRCBA são extraídas dos principais períódicos do país e, portanto, são de inteira responsabilidade de quem as publicou originalmente, ficando, assim, o CRCBA isento de qualquer opinião, tendência ou veracidade da informação.